Subscribe:

Parceiros

.


quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Trem exclusivo para ciclistas inicia operações entre Tóquio e Chiba

Um trem convencional foi remodelado para o novo serviço, incluindo a instalação de uma estrutura perto dos assentos para que os passageiros acomodem suas bicicletas.

O trem B.B Base – Boso Bicycle Base – permite aos passageiros trazerem
 suas bicicletas a bordo sem ter que desmontá-las ou dobrá-las  Foto: JR East
Um ciclista não precisou se preocupar com sua bicicleta atrapalhando outros passageiros no sábado (6) enquanto ele embarcava em uma novidade de final de semana oferecida pela East Japan Railway Co – JR East.

O trem, que conecta Tóquio com a Península de Boso, a qual forma grande parte da província de Chiba, é oferecido exclusivamente para ciclistas

“Em trens convencionais, eu tenho que prestar atenção para que a minha bicicleta não atrapalhe outros passageiros”, disse o ciclista de 32 anos, funcionário de empresa em Sagamihara (Kanagawa). “Mas neste trem posso relaxar e desfrutar de uma viagem confortável”.

A Península de Boso é considerada como local conveniente para ciclismo porque as ruas são geralmente planas e o clima é ameno.

Bicicletas a bordo do trem sem ter que desmontá-las ou dobrá-las.

O trem, chamado de B.B Base – Boso Bicycle Base – permite aos passageiros trazerem suas bicicletas a bordo sem ter que desmontá-las ou dobrá-las. Cerca de 70 ciclistas usaram o serviço no sábado.

Partindo da estação Ryogoku da JR, no distrito de Sumida (Tóquio), o trem de seis vagões, com um total de 99 assentos, fará uma viagem de ida e volta todo sábado e domingo. O trem percorrerá em uma das quatro linhas, Uchibo, Sotobo, Narita e Sobu, todo final de semana.

A JR East iniciou as operações do trem exclusivo em resposta aos pedidos de ciclistas.

A empresa ferroviária remodelou um trem convencional para o novo serviço, que incluiu a instalação de uma estrutura atrás dos assentos para que os passageiros acomodem suas bicicletas.

Veja o vídeo:


Fonte: Portal MIE

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

A decisão de trocar o carro pela bike não é tão difícil quanto parece

Foto: © Róbert Kiss
Andando pelas ruas de São Paulo, reparo em um símbolo grafitado em uma parada de ônibus. Me aproximo e consigo distinguir: sim, é a silhueta de uma bike! O poder de sugestão é grande! Fico imaginando este ponto de ônibus, na hora do rush, lotado, e o cidadão olhando para a imagem da bike, imaginando o vento no rosto, a sensação de liberdade, a possibilidade de chegar mais cedo e com mais qualidade em casa…

Esta mesma imagem da bike pode ser vista pelo motorista através da janela do carro parado ao lado do ponto. Parado em mais um dos congestionamentos “monstros” da cidade de São Paulo. E este motorista imediatamente começa a sonhar…

Pedalando pela cidade, muitas vezes pude acompanhar estes momentos de sonho e devaneio, percebidos através de olhares invejosos, curiosos, incentivadores, desaprovadores, mas a maioria sonhadores, que eu e minha bike recebemos.

E como tornar esse sonho de integrar a bicicleta à sua rotina uma realidade? Esta é a proposta deste site. Neste texto e nos próximos, nós vamos falar muito sobre como você pode trocar o carro pela bike, deixando seu corpo mais saudável, sua cidade mais limpa e sua vida mais feliz!

Ainda vemos as bikes apenas como instrumentos de lazer. Mas você já pensou que ela pode te levar ao trabalho, ao supermercado, ao cinema?

É fato que o trânsito, da maneira como está hoje, não é nada convidativo para a pessoa que está pensando em começar a andar de bike. Um verdadeiro caos. Mas não seria exatamente este o motivo para aposentar o veículo?

Já de antemão, avisamos que trocar o carro pela bike não é uma decisão para todas as situações, mas em grande parte dos casos pode funcionar muito bem.

Para fazer esta troca de maneira prazerosa, a primeira questão é a escolha do trajeto. Você deve, sempre que possível, evitar as grandes avenidas, especialmente no início. E, mesmo quando se tornar um atleta e tiver mais experiência na bike, pense bem: é muito mais gostoso andar por ruas calmas e arborizadas!

O melhor lugar para começar a pedalar – depois de você treinar o equilíbrio dando voltas por um parque, por exemplo – são as ruas mais tranquilas do seu bairro. Vá até a farmácia, ao cinema, à academia, ao seu clube (neste caso é muito bom já chegar para o treino aquecido!). Por mais injusto que seja, afinal, estamos compartilhando a mesma via, mantenha sempre uma postura defensiva. Os veículos, na maioria das vezes, são sempre maiores que as bikes, e não devemos competir com eles.

Mas saiba que devemos nos colocar em nosso devido lugar: a rua. Devido ao trânsito e o baixo número de vias específicas para bikes, a tentação de andar pela calçada é grande. No entanto, isso é falta de respeito com os pedestres, além de ser um potencial risco de acidente, porque um carro pode sair de uma garagem sem te ver e acabar te atropelando.

Pedalando na rua, não devemos irritar os motoristas, bancando o “folgadão”, andando no meio da faixa. Mas também não se esprema no canto, sob o risco de se tornar invisível para os motoristas. Ocupe seu território! Ciclista que mostra presença é mais respeitado por motoristas.

Lembre-se que a bike como meio de transporte é indicada para percursos de até 7 quilômetros, o que equivale a no máximo 30 minutos de viagem, a uma velocidade média de 15 km/h, bastante razoável para um ciclista iniciante. Em trajetos maiores, o ideal é realizar a comutação, isto é, conjugar a bike com outros meios de transporte.

No mais, como em tudo na vida, o ideal é evitarmos os radicalismos. Mesmo decidido a usar a bike como meio de transporte, você é livre para utilizá-la quando der! Com certeza, este já será um belo passo – ou uma boa pedalada -, que certamente acrescentará muita qualidade de vida ao seu cotidiano!

Fonte: Vou de Bike

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Pedais no Zwift geraram energia para iluminar LA por 17 dias em 2017

O Zwift, plataforma virtual de ciclismo que permite pedalar com pessoas do mundo inteiro, apresentou alguns números que dão para nós a verdadeira noção to tamanho e da quantidade de pessoas que usam o programa para suas pedaladas virtuais.


Segundo os dados de 2017 apresentados pelos desenvolvedores do jogo, um total de 196.582.313 km foram percorridos pelos usuários do jogo - suficiente para ir e voltar de marte duas vezes.

Além disso, mesmo sem se mover um metro, os atletas virtuais somaram nada menos do que 1.8 bilhões de metros escalados, consumindo 14.368.536 fatias de pizza no processo. Além disso, foram produzidos 11.371.782.534 Watts/Hora, suficiente para alimentar a cidade de Los Angeles por 17 dias.

Em média, cada ciclista percorre 28 quilômetros a cada atividade, escalando cerca de 250 metros. Os ciclistas de Ontário, Viena e Hamburgo são os que pedalam mais longe, enquanto Copenhague é a cidade com os ciclistas mais potentes.

Fonte: Pedal.com / Por - Gustavo Figuereido

Pinarello apresenta nova pintura 2018 das bikes da Sky

A Pinarello, um dos mais tradicionais fabricantes bicicletas italianas da atualidade, apresentou as novas F10 que serão utilizadas pela equipe Sky em 2018. Lançado há cerca de um ano, o modelo recebeu uma pintura branca por dentro do triângulo dianteiro, combinando com o preto do lado externo e com detalhes em azul. 


 

 

As bicicletas utilizadas pela equipe terão grupo Dura-Ace R9100 com medidor de potência, componentes PRO da linha Most e um guidão integrado Pro Talon Aero 1K com suporte para GPS e integração para Di2. A Pinarello fornece bicicletas para a Sky desde que a equipe surgiu em 2009, com o contrato se estendendo até o fim de 2020. 

Fonte: Pedal.com

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Meu Strava 2017


Um resumão das minhas atividades realizadas durante o ano de 2017 através do APP STRAVA

Confiram e vamos juntos em 2018 superar os números, os limites e praticar este esporte que é tão apaixonante e que nos proporcionam tantos bons momentos, seja sozinho, ao lado de pessoas que queremos bem, ou de novos amigos que conquistaremos pelo caminho a fora.