Subscribe:

Parceiros

.


domingo, 26 de abril de 2015

Conheça outras vantages da bicicleta


Você ainda se espanta quando ouve alguém dizer que usa a bicicleta como meio de transporte? Não se imagina pedalando para ir ao trabalho, à escola, à faculdade?

Pois veja só algumas vantagens que a bike pode trazer para a sua vida, para as outras pessoas e para a sua cidade, se você experimentar.

- Economia

Sim, andar de bicicleta pode fazer você economizar muito. Para começar, pense o custo médio de manutenção anual de uma bicicleta é de aproximadamente
R$ 100,00.

Para quem usa transporte coletivo: vamos usar o valor de R$ 2,60, atual preço da passagem de ônibus, em Curitiba. Uma pessoa que vai e volta para o trabalho de ônibus gasta R$ 5,20, por dia. Se trabalhar 5 dias por semana, são R$ 26,00 por semana e R$ 104,00 por mês. Deixando de pagar esse valor, é perfeitamente possível pagar a parcela de uma boa bicicleta e, quando terminar o pagamento, o dinheiro passa a sobrar no orçamento.  Quer mais? Em um ano, a economia passa dos mil reais (são R$ 1144, 00, considerando 11 meses de trabalho e um de férias, sem contar feriados).

Para quem usa carro: elimine gastos com combustível, estacionamento, guardadores de carro e manutenção, se você deixar de usar o carro apenas para ir ao trabalho alguns dias da semana. Se trocar o carro de vez pela bicicleta, dê adeus também ao valor do seguro, IPVA e da parcela do financiamento do veículo. Os valores variam muito de carro para carro, mas dá para perceber o quanto vai sobrar, não é mesmo?

- Tempo

Em percursos de até 8 Km/h, a bicicleta é mais rápida do que qualquer outro meio transporte. Quem afirma é Alexandre Nascimento, jornalista e cicloativista, que usa a bicicleta como meio de transporte. Diariamente, ele faz o percurso de casa até o trabalho em aproximadamente 20 min e esse tempo não muda nunca, pois não depende do trânsito ou do horário.

O mesmo vale para você. É claro, que nos primeiros dias, é normal que você demore um pouco mais para chegar ao seu destino, por não ter um condicionamento físico tão apurado. Mas, pouco a pouco, seu desempenho vai melhorar e você vai estabilizar o tempo que leva no percurso.

Daí para frente, você pode calcular quanto tempo ganha em relação ao trajeto de carro ou ônibus, que varia conforme o horário e o fluxo de veículos. É menos tempo de stress em congestionamentos e mais tempo para a sua vida!

- Desafogar o trânsito

Você já deve ter ouvido a famosa frase: “uma bicicleta é um carro a menos”. Isso é uma notícia excelente para os… motoristas! Sim! Um carro a menos significa mais espaço na rua, mais vagas de estacionamento, menos congestionamento.

A cidade também ganha com a redução de ruídos e menos gases poluentes emitidos pelos veículos motorizados. O ganho na qualidade do ar, que todos nós respiramos, é enorme.

- Felicidade, saúde, qualidade de vida

Quando começa a pedalar, você se exercita durante o tempo de deslocamento, melhora sua condição física, fica mais disposto e mais feliz. Além de deixar de se estressar no trânsito, porque seu organismo vai liberar mais endorfina, o “hormônio da felicidade”. Então, você chega no trabalho mais feliz! Quem diz isso não é apenas um ou dois dos ciclistas consultados pelo Sou + Bike, mas todos eles. É unanimidade: pedalar melhora radicalmente o seu humor. Assim, você vai trabalhar melhor e ser mais produtivo!

- Viaje sem sair da sua cidade

Em cima da bike você vive uma relação totalmente diferente com a cidade. Você vê e sente detalhes que são imperceptíveis quando se está de carro ou de ônibus. O trajeto até seu trabalho ou local de estudo se transforma em um passeio prazeroso, mais bonito e agradável. É uma interação nova e surpreendente. Se ousar sair de dentro do carro, você vai se encantar!

- Torne-se mais humano

Pode parecer até estranho citar essa vantagem do uso da bicicleta. Mas é inegável o ganho pessoal e social de quem escolhe a bicicleta como meio de transporte. Em um mundo onde o carro é visto como sinônimo de status e poder, a bicicleta coloca pessoas todos no mesmo patamar, independentemente de classes sociais.Todos somos seres humanos, iguais, mas em cima da bike essa condição se torna muito mais perceptível.

Além desse exercício de humildade você vai estar mais próximo das pessoas e vai encontrar muitas oportunidades de conhecer gente nova e até de construir grandes amizades. É só começar a pedalar para perceber a receptividade dos outros ciclistas. Com certeza você vai receber acenos e sorrisos ao cruzar com eles pelas ruas da cidade.

Fonte: redeglobo.globo.com
Com informações de: Alexandre Nascimento, Danilo Herek, Edson “Nescau”, Guilherme Caldas, Gustavo Carvalho, Itamar Sawiuk, José Carlos Belotto

Bicicleta de titânio impressa em 3D é totalmente personalizável; conheça

DFM01 permite personalização de altura e tamanho
Foto: Divulgação/Triple Botton Line
Uma bike impressa em 3D promete ser o sonho dos amantes de ciclismo. A chamada DFM01 foi criada por designers japoneses e inova por utilizar titânio, material pouco usual em processos de impressão 3D. O modelo é rico em detalhes e pode ser customizado de acordo com o gosto do consumidor. O preço para tanta tecnologia e sofisticação, no entanto, é alto.

Criado pelo estúdio Triple Bottom Line, a bike foi construída com uma impressora 3D utilizando uma técnica conhecida como sinterização seletiva a laser (SLS). Isso permitiu, além de fazer cortes precisos, adicionar detalhes no chassi da bicicleta. O projeto foi construído em conjunto com a Akiba, marca especializada em bicicletas de corrida.

Uma vantagem da DFM01 é o seu peso. Apesar de ser construída em titânio ela pesa apenas 6,8 quilos. Isso a coloca como possível concorrente com bicicletas construídas em outros materiais, como a fibra de carbono.

Detalhes só foram possíveis graças a técnica conhecida como SLS 
(Foto: Divulgação/Triple Botton Line)
 Além disso ela pode ser totalmente customizada. Foi criado um sistema onde o usuário fornece informações como peso e altura. De acordo com os dados coletados, um algoritmo calcula com precisão qual o tamanho ideal para o quadro. O ciclista também pode alterar o projeto de acordo com os gostos pessoais.

Preço pode passar dos R$ 17 mil 
(Foto: Divulgação/Triple Botton Line)
Tantas possibilidades de personalização é lógico que se refletiria no preço. A DFM01 ainda não tem valor definido, mas acredita-se que apenas o quadro custe entre US$ 4.200 (cerca de R$ 12,7 mil em conversão direta) e US$ 5.900 (cerca de R$ 17,9 mil).

MTB do Trabalhador 2015



INFORMAÇÕES DO MTB 2015

MTB DO TRABALHADOR 2015

Este ano o evento acontecerá na Sexta-feira (1ª de Maio de 2015) e terá como ponto de     concentração, largada e chegada, o estacionamento do maior parque de feiras de confecções do Brasil,  O Moda Center Santa Cruz. Localizado as margens da PE 160.
A largada será às 10h da manhã e, terá a cobertura do Programa Mais Radical da TV Pernambuco e TV Esporte Interativo, com o apresentador Máximo Neto.

                        
            DAS CATEGORIAS:

Será um total de quinze categorias, sendo elas:

*Infanto/Juvenil (De 12 a 16 anos nasc. em 1999 a 2003) Percurso “B” (intermediário)
*Júnior (De 17 a 18 anos nasc. em 1997 a 1998) Percurso “B” (intermediário)
*Sub-23 (De 19 a 22 anos nasc. em 1993 a 1996) Percurso “A” (total)
*Sub-30 (De 23 a 29 anos nasc. em 1986 a 1992) Percurso “A” (total)
*Master “A” (De 30 a 34 anos nasc. em 1981 a 1985) Percurso “A” (total)
*Master “B” (De 35 a 39 anos nasc. em 1976 a 1980) Percurso “A” (total)
*Master “C” (De 40 a 44 anos nasc. em 1971 a 1975) Percurso “B” (intermediário)
*Master “D” (De 45 a 49 anos nasc. em 1966 a 1970) Percurso “B” (intermediário)
*Sênior (De 50 anos acima nasc. até 1965) Percurso “C” (reduzido)
*Elite Feminina, Percurso “B” (intermediário)
*Peso Pesado, Percurso "C" (reduzido)
*Estreante Feminina, Percurso "C" (reduzido)
*Especial (única) Percurso “C” (reduzido)
*Estreante (única) Percurso “B” (intermediário
OBS; os atletas que participaram no ano de 2014 e subiram ao pódio nas cinco primeiras colocações, (1º ao 5º), na estreante, não poderão se inscrever nessa categoria, e sim, na categoria correspondente com a sua idade.
*Geral Masculina, será formada pelos cinco primeiros atletas que cruzarem a linha de chegada, que tenham feito o percurso "A" (total), independentemente se sua categoria por faixa etária.

DAS PREMIAÇÕES:

*O campeão geral da prova levará além do troféu, uma moto Honda Biz "0" km.

*O segundo geral levará troféu e R$ 500,00 (quinhentos reais em espécie).
*O terceiro geral levará troféu e R$ 400,00 (quatrocentos reais em espécie).
*O quarto geral levará troféu e R$ 300,00 (trezentos reais em espécie).
*O quinto geral levará troféu e R$ 200,00 (duzentos reais em espécie).

O atleta que entrar na geral, sai da categoria por faixa etária.


PREMIAÇÃO POR FAIXA ETÁRIA:

*Infanto/Juvenil: 1º colocado R$ 120,00 – 2º colocado R$ 100,00 e 3º colocado R$ 80,00 + Troféu do 1º ao 5º colocados.

*Júnior: 1º colocado R$ 120,00 – 2º colocado R$ 100,00 e 3º colocado R$ 80,00 + Troféu do 1º ao 5º colocados.

*Sub-23: 1º colocado R$ 150,00 – 2º colocado R$ 120,00 e 3º colocado R$ 100,00 + Troféu do 1º ao 5º colocados.

*Sub-30: 1º colocado R$ 150,00 – 2º colocado R$ 120,00 e 3º colocado R$ 100,00 + Troféu do 1º ao 5º colocados.

*Master “A”: 1º colocado R$ 150,00 – 2º colocado R$ 120,00 e 3º colocado R$ 100,00 + Troféu do 1º ao 5º colocados.

*Master “B”: 1º colocado R$ 150,00 – 2º colocado R$ 120,00 e 3º colocado R$ 100,00 + Troféu do 1º ao 5º colocados.

*Master “C”: 1º colocado R$ 150,00 – 2º colocado R$ 120,00 e 3º colocado R$ 100,00 + Troféu do 1º ao 5º colocados.

*Master “D”: 1º colocado R$ 120,00 – 2º colocado R$ 100,00 e 3º colocado R$ 80,00 + Troféu do 1º ao 5º colocados.

*Sênior: 1º colocado R$ 120,00 – 2º colocado R$ 100,00 e 3º colocado R$ 80,00 + Troféu do 1º ao 5º colocados.

*Elite Feminina: 1ª colocada R$ 150,00 - 2ª colocada R$ 120,00 e 3ª colocada R$ 100,00 + Troféu da 1ª a 5ª colocada.

*Especial: 1º colocado R$ 120,00 – 2º colocado R$ 100,00 e 3º colocado R$ 80,00 + Troféu do 1º ao 5º colocados.

*Estreante: 1º colocado R$ 120,00 – 2º colocado R$ 100,00 e 3º colocado R$ 80,00 + Troféu 
do 1º ao 5º colocados.

*Estreante Feminina: da 1ª a 5ª colocadas receberão Troféus.

.*Peso Pasado: do 1º ao 5º colocados receberão Troféus.

DAS INSCRIÇÕES:

Estão abertas desde o dia 15 de Março de 2015.

*Do dia 15 ao dia 31 de Março de 2015, a taxa será de R$ 50,00 (Cinquenta Reais).
*Do dia 01 ao dia 10 de Abril de 2015, a taxa será de R$ 70,00 (Setenta Reais).
*Do dia 11 ao dia 20 de Abril de 2015, a taxa será de R$ 80,00 (Oitenta Reais). 
*Do dia 21 ao dia 30 de Abril de 2015, (último dia para as inscrições), a taxa será de 
  R$ 100,00 (Cem Reais).

OBS: As categorias; Estreante Feminina, Infanto, Juvenil e Peso Pesado, pagarão apenas R$ 50,00 da taxa de inscrição em qualquer período até o dia 30 de Abril de 2015. 

O pagamento da taxa de inscrição deve ser feito através de depósito nominal na conta                           corrente; 11886-5 da agencia; 0491 do Banco ITAU.

Após o depósito o atleta deve ligar para confirmar o mesmo. A inscrição só será confirmada                 após a confirmação do pagamento.

Obs: Para os bikes de Santa Cruz do Capibaribe, o pagamento das inscrições poderá ser feito também, nas lojas: IRAN BIKE’S e Hill Bikes, ambas na Avenida Cesário Aragão, no Bairro São Cristóvão em Santa Cruz do Capibaribe-PE.

Mais Informações: (81) 9148-7788 ou 9970-3997, falar com Fernando Lagosta.


DO PERCURSO:

"A", total com 62 km - "B",  intermediário com 50 km e "C",  reduzido com 40 km.


DOS KIT’S:


OBS: só receberão kit's os 100 (cem) primeiros atletas inscritos. Os demais receberam apenas as placas de identificação para as bikes.


Os kit's serão entregues na noite da Quinta-feira (30 de Abril de 2015), a partir das 19h. na     CHÁCARA PARAÍSO, que fica localizada as margens da PE 160, próximo ao Distrito de                   Pão de Açúcar de Taquaritynga do Norte-PE.


No momento acontecerá o congresso técnico com os participantes, para esclarecimentos de   algumas dúvidas que algum atleta tenha em relação ao evento.

Os atletas que chegarem no dia do evento (01 de Maio) só poderão retirar os kit’s até às 8h da manhã no local do evento.

Fonte: mtbdotrabalhador.blogspot.com

Vídeo: 100% maluco - Não faça isso em casa...

O italiano Vittorio Brumotti, que atende pelo apelido de 100% Brumotti (que remete à loucura de suas manobras) é famoso por realizar manobras insólitas utilizando sua bicicleta Speed. Assim, ele tem dez recordes mundiais no Guinness.

O mais recente é o de 2014: pedalar por uma grade de 5 cm de largura a uma altura de 20 metros!

Vale o play!


Microsoft Band recebe atualização com suporte à aplicativos de bicicleta

Foto: Divulgação
A Microsoft lançou sua pulseira inteligente há algum tempo, principalmente para os usuários que utilizam tecnologia para fazer atividades físicas e cuidar da saúde. Apesar da possibilidade de ser utilizado para quase todos os propósitos “fitness”, os usuários doMicrosoft Band não tinham muitas opções para ajudar nas “pedaladas” de bicicleta, mas isso acaba de mudar.

Nesta última quarta-feira (22/4) a companhia revelou que seu dispositivo vestível também poderá ser utilizado com aplicativos para rastrear atividades em bicicletas, como os populares MapMyRide e Strav. A possibilidade não era esquecida pela Microsoft, é algo que os utilizadores da pulseira estavam esperando.

“A partir do dia 23 de abril, os consumidores da Microsoft Band poderão usar os dispositivos ativamente durante corridas de bicicleta, comparando suas performances ou compartilhando suas rotas nos aplicativos”, foi publicado no blog oficial Microsoft Devices.

Apesar de ser uma boa novidade, certamente a possibilidade não é nenhuma surpresa, já que em fevereiro a Microsoft adicionou um ícone de bicicleta na pulseira inteligente. Os usuários podem utilizar basicamente as mesmas funções disponíveis em aplicativos que rastreiam outras atividades físicas, como monitoração cardíaca, GPS, velocidade e muito mais.

Além disso, a companhia também revelou alguns detalhes das novidades disponíveis no aplicativo Health, em breve os usuários poderão começar a rastrear a quantidade de passos por dia e calórias queimadas, já utilizando os sensores dos smartphones. Ou seja, usuários do app não precisarão nem da Microsoft Band, nem de outros aplicativos, para fazer rastreio dessas informações diariamente. A atualização será lançada para dispositivos móveisAndroid, iOS e Windows Phone.

O Microsoft Health para navegador também será atualizado com algumas novas funcionalidades, incluindo a possibilidade de comparar suas atividades diárias com base em informações de outros usuários com o mesmo tipo de corpo que o seu. Também será possível analisar a eficiência do seu sono, e descobrir como o corpo restaura seus recursos durante a noite. O app também irá mostrar qual é a melhor hora e dia da semana que você faz sua melhor performance física, para melhorar ainda mais seu progresso.

Fonte: www.tudocelular.com

João Paulo Firmino afirma - Bike é estilo de vida


Provas, treinos, dieta e descanso. Mais do que vitórias e pódio, a vida de um ciclista profissional é cheia de compromissos e responsabilidades. Experiente, João Paulo Firmino sabe disso e afirma que competir de Scott é mais do que uma profissão. É um “estilo de vida”.

Em mais vídeo da série de depoimentos dos atletas Scott, JP vai além das competições e treinamentos. Ele mostra seu lado humano e como a bicicleta entrou de vez na sua vida. De apaixonado por pedal até atleta patrocinado por uma das principais marcas de bicicleta do mundo.

Vale a pena conferir cada detalhe do vídeo e ver que a diferença entre os profissionais e os amadores quando se trata de paixão pela bicicleta é mínima.


Fonte: Seppia Geração de Conteúdo

5 razões para você abandonar o carro e pegar a bike


Você pega o carro todos os dias para ir ao trabalho? Se respondeu sim, então você e eu temos algo em comum, junto com outras dezenas de milhões de pessoas. Muitas pessoas optam por ir de carro ao trabalho, enquanto outros podem ir de metrô, trem ou ônibus. No entanto, cada vez mais pessoas optam pela bike, que pode ser a melhor alternativa de todas, e aqui está o motivo:

1) Economize dinheiro: 

Decidir ir de bike em vez de carro para o trabalho é uma maneira praticamente garantida de poupar dinheiro, e quem não está tentando economizar algum dinheiro nestes tempos de economia ruim e gasolina cara?

Em primeiro lugar, você economiza ao não ter de pagar os custos de manutenção do carro, que vão ficando cada vez maiores com o passar do tempo.

Em, segundo lugar, você economiza no seguro (nada barato) e nos impostos (também nada em conta).

E em terceiro lugar, você economiza ao não pagar o combustível. A esta altura já é possível ter uma ideia de quanto dinheiro você pode poupar ao não usar um carro.

Se você trabalha a uma distância curta ou média (até 10 quilômetros) de sua casa, então a bicicleta provavelmente é sua melhor alternativa de transporte.

2) Melhora sua saúde: 

A maioria de nós faz pouco mais do que ficar sentado diante do computador o dia todo quando estamos no trabalho, por isso o exercício físico está se tornando uma peça cada vez mais importante no quebra-cabeça da vida saudável.

É o seu corpo que a leva para a frente dia após dia, por isso é importante mantê-lo em boa forma.

Por isso, andar de bicicleta para o trabalho é uma maneira fantástica para ajudá-la a manter a boa forma. E ao andar de bicicleta você ainda economizará tempo, já que também vai eliminar a necessidade de gastar muitas horas na academia.

3) Clareia a mente: 

Aqueles que se exercitam regularmente sabem como a atividade física pode fazer bem não só ao corpo, mas também para a mente.

Exercícios físicos ajudam a clarear a mente, afastando seus problemas e preocupações. Também é fato conhecido que o exercício cardiovascular acaba reduzindo a ansiedade e os sintomas da depressão.

4) Ajuda o meio ambiente: 

Os cientistas que estudam as mudanças climáticas globais sugerem que o mundo terá grandes problemas, se nós não começarmos a agir agora e a mudar a forma como tratamos o planeta.

A melhor forma de começar a ajudar o planeta é reduzindo suas emissões de carbono. E sabe qual é um dos grandes vilões das emissões de carbono? Ir e voltar do trabalho de carro!

Ao utilizar menos o seu carro, você vai contribuir diretamente com a redução das emissões de carbono e irá ajudar o planeta.

5) Economiza tempo: 

Embora a bicicleta geralmente não seja considerada o meio mais rápido de transporte urbano, ela com certeza supera a caminhada.

Além disso, em trajetos onde há uma grande quantidade de trânsito, coisa normal nos grandes centros urbanos de hoje, a bicicleta também acaba sendo mais rápida que ônibus ou carro em curtas distâncias, só perdendo para as motos.

E mesmo que ir de bike seja mais devagar do que fazer o mesmo trajeto de carro, você ainda vai chegar com relativa rapidez ao trabalho e desfrutará dos outros benefícios listados acima.

 Fonte: dietaebeleza.com

Líquido Selante - O Guardião do Ar dos Pneus

Foto: Scott Divulgação
Existem pneus que se tornaram famosos por terem aderência, resistência ou durabilidade. E também existem aqueles famosos por furarem com facilidade. Independente de pneu, todo ciclista está à mercê de um indesejável furo, e consequentemente, da chata tarefa de trocar o pneu. Isso exige ferramentas, peças, tempo e muita paciência.

Aparentemente, a melhor solução seria criar um pneu ‘infurável’. Houve várias tentativas, e até existem pneus absurdamente resistentes. Mas isso implica em pneus pesados ou muito duros – e a velha regra deixa bem claro: quanto mais mole o pneu, mais aderência. Quanto mais leve, melhor a rolagem.

A solução vem de dentro

Não encontramos informações precisas sobre quem inventou o líquido selante e quando fez isso. Mas um belo dia, alguém que provavelmente se incomodava muito com furos percebeu que o problema não eram os furos. O problema era deixar o ar vazar! Parece contraditório... mas é isso mesmo: furos, sim. Vazamentos não!

O líquido selante é, como o nome diz, um líquido que sela o pneu por dentro contra pequenos vazamentos. O princípio é bem simples: um líquido espesso, denso, composto de fibras e adesivos, que com a rotação da roda, se espalha e forma uma fina camada por todo o interior do pneu. Assim que algo perfura o pneu, a reação inicial é o vazamento do ar sob pressão. Mas como o líquido está entre o ar e o pneu, o ar acaba empurrando o líquido para dentro do furo. E como é denso e grudento, ele acaba ‘entupindo’ o furo e impedindo o vazamento de ar. É como se houvesse um remendo líquido correndo dentro do pneu, pronto para parar vazamentos.

Isso serve para pequenos furos e cortes leves. Se você passar por cima de uma espada medieval com a bike, obviamente o selante não vai conseguir cobrir toda a área cortada e a pressão do ar será perdida. Mas como boa parte dos furos são causados por pequenos objetos – cacos de vidro, espinhos e pregos na maioria das vezes – o selante dá conta do recado. Enquanto os furos forem pequenos, o selante protegerá o pneu mesmo que hajam centenas e centenas de furos.

Os ciclistas que gostam de um passeio ou treino longo, cicloturistas e outras pessoas se beneficiam muito de passar meses sem vazamentos de ar. É claro que tudo que é bom não dura para sempre. Os líquidos selantes possuem validade e precisam ser trocados ou reabastecidos depois de um tempo, pois perdem características essenciais, como viscosidade e aderência.

Posologia

Cada modalidade do ciclismo possui seus próprios pneus. Grossos, finos, com poucas ou muitas garras, com 30 ou 110 libras de pressão... Obviamente, cada um desses tipos de pneu recebe uma quantidade diferente de selante, ou, um tipo diferente de selante. Imagine, por exemplo, se a mesma quantidade e tipo de selante de um pneu fino de speed poderia cobrir e proteger o interior de um pneu 29” grosso de mountain bike?

Para cada tamanho existe uma quantidade recomendada de líquido selante, mas isso varia conforme marca e modelo do selante. Pneus speed usam em média 30-50 ml por roda, já pneus de MTB usam de 80-150ml por roda. No MTB a quantidade varia muito pois os tamanhos de roda vão de 26” à 29”, além do tamanho do pneu, que pode variar de 1,5” até 2,8”.

Nota: a maioria dos selantes são feitos para pneus tubeless. Existem selantes específicos para câmaras de ar. Isso não quer dizer que nenhum selante tubeless funcionará em uma câmara de ar, mas é importante lembrar disso na hora de comprar ou trocar seu selante, caso contrário ele pode ser dinheiro jogado fora.

Para pneus tubeless o selante é indispensável. Senão, cada furinho resultaria na colocação de uma câmara ou a troca do pneu inteiro, e eles não costumam ser muito baratos.

O prazo de validade dos selantes varia, começando em 2 meses e chegando a vários meses em outros modelos. Um teste rápido e prático é balançar o pneu (se tiver sido colocada a quantidade adequada de selante nele). Se você conseguir ouvir o barulho do selante, tudo bem. Se o barulho começar a diminuir ou desaparecer, está na hora da troca ou reabastecimento.

Vacinando o pneu


De alguma maneira, o selante tem que entrar dentro do pneu ou da câmara. É possível usar uma seringa e injetar no pneu como se fosse uma vacina, afinal de contas, ele irá vedar o furo depois. Mas o líquido é muito espesso e possui partículas de borracha e outros materiais que entopem a seringa e a agulha, o que exige uma agulha grossa, que poderia causar um furo que o selante não conseguiria vedar. É necessário achar a agulha mais fina possível, desde que ela não entupa com o líquido. Como esse método possui um certo ‘risco’, vamos analisar outros métodos.

No caso dos tubeless, o liquido é derramado dentro de pneu. Basta abrir uma fresta entre aro e pneu com espátulas e derramar o líquido. Simples assim!



Já no caso dos pneus com câmara, é necessário injetar o liquido através do bico da câmara. Para isso o núcleo da válvula deve ser removida, seja Presta (fina) ou Schrader (grossa). No caso da Presta com válvula removível, basta rosquear a ponta e removê-la. Já a válvula Schrader necessita de uma ferramenta para remoção. O líquido é injetado com a ajuda de uma mangueira, bombeada por uma seringa ou frasco. Lembre-se que existem selantes específicos para uso com câmaras, mas os comuns também podem funcionar.


Quando se trata de uma Presta com núcleo da válvula não-removível, pode-se injetar o líquido com um selante que tenha frasco com bico longo e cônico. Esse bico pode ser cortado e usado para ‘envolver’ a válvula Presta aberta, como o bico da bomba de encher pneu faz. Então, é só apertar. Existe também um método que consiste em remover a trava da válvula e empurrá-la para dentro da câmara, prende-la com um grampo, injetar o líquido e recolocá-la no lugar. Há, porém, o risco da válvula resolver dar uma voltinha dentro câmara, o que pode tornar incômodo para recolocá-la no lugar.

Um frasco com bico bem pensado também pode ser de ajuda. Alguns selantes já trazem uma pequena peça que remove o núcleo das válvulas Schrader e Presta. Se o bico for cônico, praticamente qualquer tipo de câmara e pneu pode receber a injeção.

Escolha bem

Como em praticamente todo tipo de produto, existem selantes que funcionam bem e outros que deixam a desejar. É comum que ciclistas se enganem na hora de comprar seus selantes, por isso a primeira dica é ficar bem atento ao tipo de selante que você precisa.


Depois de definir qual o tipo de selante, é recomendável pesquisar marcas e modelos conforme a necessidade. A internet é uma das melhores ferramentas para isso. Em blogs e fóruns podem ser encontrados relatos de quais selantes funcionam, quais não... e com isso você terá uma base para definir a marca e modelo do selante que usará.

Um dos selantes mais bem avaliados é Stan´s No Tubes! Já o Joe´s No Flats! Possui vários modelos, dos quais o mais bem avaliado é o Elite Racers. Há também o CafféLatex da empresa italiana Effeto Mariposa, um selante diferente que cria uma espuma dentro do pneu, causando uma área de cobertura igual em todas as partes, tendo, porém, a desvantagem de demorar mais para selar os furos. A alemã Continental também está presente no mercado com o Revo Sealant. Também estão no mercado Rubena, Oko-Extreme, Zéfal, Mavic, Michelin, Sludge, WTB e Kombat. E não poderia ficar de fora o Slime, selante verde que não se incomoda com gás CO2 (muitos selantes perdem eficiência ao entrar em contato com esse gás) e continua vedando muito bem por vários e vários meses.

Algumas marcas como Zéfal, Slime, Michelin e Hutchinson contam com selantes aerossóis, que são facilmente injetados por pressão, úteis para quem precisa de uma carga rápida, como competidores durante provas. Esses selantes não só reparam os pneus, mas também o inflam recuperando perdas de pressão.

Fita anti-furo

Existem outros meios de evitar problemas com o pneu. Muitas pessoas optam pela fita anti-furo, uma fita casca grossa que resiste muito bem a pequenos objetos, impedindo que o pneu fure. Por isso muitos se perguntam: fita anti-furo ou líquido selante?

Essa pergunta não tem resposta definida, pois os dois produtos agem de formas diferentes, e obviamente, geram resultados diferentes. Por exemplo: Uma fita anti-furo irá impedir boa parte dos furos, mas se algo como um prego comprido a traspassar, o ar vazará. Já o selante conseguiria vedar o furo do prego. Por outro lado, se o objeto for uma pequena lâmina, a fita anti-furo poderá resistir a ela e evitar o corte. Já o selante não conseguirá impedir o vazamento de ar, pois se trata de um corte maior.

Entendeu a diferença? O selante, por assim dizer, funciona com furos. Já a fita impede os furos. Com cortes a história é outra...

É importante analisar qual opção se encaixa melhor para você. Antes de tudo, priorize a compra de um bom pneu e calibre-o na pressão correta, indicada pelo fabricante na lateral do pneu. Depois decida se no seu caso será necessária mais proteção e qual tipo será mais apropriada.

Compensa?

Sim, compensa! Como dito, para pequenos danos, mas eles são a maioria. Lembre-se que no caso do selante, seu pneu vai furar, mas você nem sequer perceberá.
Para os aficionados por peso talvez a proteção pareça dispensável. Mas pense bem: quem quer o mínimo possível de peso faz isso para conseguir o melhor tempo. Porém, você perderá muito mais tempo trocando e enchendo um pneu do que com algumas gramas a mais de peso para levar. Selantes costumam ter um pouco mais de 1g por ml.

Outra questão que talvez venha na mente seja o preço. Mas selantes não são caros. Fitas anti-furo são um pouco mais baratas. Pode-se encontrar selante suficiente para os pneus da sua bike em torno de R$ 60,00, o que não é lá nenhuma bala de troco, mas que vai sair mais barato do que trocar a câmara frequentemente. E obviamente, com muito menos incômodo.

Selantes e fitas anti-furo são investimentos no qual todo ciclista deve considerar, principalmente quem não pode parar no meio do caminho. Seja prego, vidro, espinho... proteção nos pneus e pedal pra frente!

Vídeos e tutoriais de montagem:

Pneu Tubeless​



Fonte: Revista Bicicleta por Pietro Battisti Petris

quarta-feira, 22 de abril de 2015

A Mulher e a Bicicleta

Foto: Thinkstockphotos
Susan e suas companheiras do século XIX sofreram muitas restrições no seu tempo. Esqueça as barreiras profissionais, as mulheres daquele tempo eram prisioneiras das próprias vidraças. A luta por "o mesmo salário pelo mesmo trabalho" estava décadas distante. A causa da mulher vitoriana estava mais para "Gostaríamos de sair de casa de vez em quando... por favor.... se não for incômodo.”

Susan B. Anthony
As mulheres já foram consideradas frágeis demais para andar de bicicleta

Naquela época a moda feminina expressava desamparo e fragilidade. Pense na figura da mulher vitoriana: pálida, doentia, dependente do homem para tudo, arriscando-se, às vezes, a espiar por trás de um leque. A fragilidade de uma "senhora" era tal que a impedia de estudar, trabalhar e votar; não fazer quase nada era visto como algo sensato.

Obviamente, havia a percepção de que algo dessa fragilidade toda era uma injunção social. Um cavalheiro, caminhando até o mercado, cruzaria com dezenas de trabalhadoras das classes mais baixas. E talvez até empregasse uma delas para auxiliar as compostas senhoras de sua casa, ocupadas com conversinhas, rubores e desmaios. Mas os homens não enxergavam essas mulheres como senhoras educadas. Uma dama deveria ser fraca, sem defesa e totalmente dependente dos homens.

Três quilos na roupa de baixo

É evidente que as mulheres não sofreram qualquer alteração fundamental em sua fisiologia nos últimos séculos, então como explicar a vida moderna que levam, independente e livre de desmaios?
Para começar, a dama vitoriana raramente se exercitava ou tinha qualquer atividade física, o que implica em mau condicionamento. Além disso, a moda era ser frágil.

Outro fator da fragilidade da mulher vitoriana era sua vestimenta. Tipicamente pesada, exagerava a silhueta feminina e ao mesmo tempo escondia o corpo. As curvas eram destacadas com espartilhos apertados que, junto com as longas e pesadas roupas de baixo, limitavam a capacidade das mulheres de mover e até de respirar.

Algumas mulheres terminaram por rebelar-se e, em 1888, uma carta publicada no The Rational Dress Society - de um grupo de mulheres que lutavam por uma vestimenta mais inteligente - afirmou, "o peso máximo da roupa de baixo (sem os sapatos) aprovados pelo The Rational Dress Society, não pode exceder os três quilos".
Três quilos de roupa de baixo? Um progresso? É muito mais que qualquer top de ginástica. Obviamente as mulheres precisavam mudar de roupa de baixo. É onde entra a bicicleta.

Uniforme de entrada

No fim do século XIX, a popularidade das bicicletas explodiu. Por exemplo, em 1880, um dos primeiros grupos de ciclistas, chamado League of American Wheelmen, possuía 40 membros; em 1898 já reuniam quase 200.000. Andar de bicicleta era tão comum que em 1896, o The New York Journal of Commerce avaliou que o hábito estava custando aos cinemas, restaurantes e outros negócios mais de 100 milhões de dólares por ano. Considerando a popularidade cada vez mais intensa da bicicleta, era natural que as mulheres também a usassem.

Antes das bicicletas, o cavalo era o melhor meio de transporte. O acesso das mulheres ao cavalo, claro, era limitado. Cavalos eram perigosos e de controle difícil; e uma convenção médica sugeria que montar poderia danificar os genitais femininos. As mulheres deveriam montar de lado, com as duas pernas juntas. Nessa posição artificial, elas não conseguiam percorrer grandes distâncias, realimentando a idéia que não deveriam montar.

Bicicletas, em comparação, eram de manipulação fácil. Não havia motivo porque uma mulher não pudesse subir numa bicicleta e dignamente pedalar para tão longe de casa como nunca estivera. Nenhum motivo a não ser sua pesada vestimenta e o dilema de que, se pedalasse, ou perderia a virtude ou morreria de exaustão.

Para que a mulher participasse da nova mania sem enroscar-se na corrente da bicicleta, ela precisava de saias mais curtas ou mesmo uma vestimenta bifurcada chamada "bloomers". Também seria necessário sair de casa e fazer exercícios físicos - atividades antes consideradas impróprias.

A intensidade dos protestos contra as mulheres nas bicicletas é prova de como lutaram. As valentes mulheres que usavam uma roupa mais razoável eram criticadas, não tinham acesso aos lugares públicos e ridicularizadas nos meios de comunicação.

Ciclistas femininas geralmente eram atacadas verbal ou fisicamente enquanto rodavam. Emma Eades, uma das primeiras ciclistas de Londres, foi atingida por tijolos e pedras. Homens e mulheres, igualmente, exigiam que ela voltasse para casa de onde não deveria ter saído e se comportasse convenientemente.

Muitos temiam que a mobilidade sem precedentes proporcionada às mulheres pela bicicleta as corrompesse moralmente. Uma empresa chamada The Cyclist's Chaperon Association fornecia "senhoras de boa posição social para conduzir damas em passeios e excursões de bicicletas". Tais senhoras deveriam satisfazer critérios exigentes para se qualificarem como guardiãs da virtude. Eram senhoras casadas, viúvas, ou solteiras com mais de 30 anos. Deveriam apresentar três referências pessoais, duas de senhoras de inquestionável posição social e outra de um clérigo da igreja - tudo isso para impedir que as mulheres tivessem sua moral degradada por suas bicicletas.

Apesar de tão evidente condenação social, os grupos ciclistas continuaram e acabaram por introduzir mudanças fundamentais na sociedade. As mulheres rodaram em suas bicicletas e, para espanto geral, não desmaiaram nem cometeram atrocidades morais.

Na verdade, elas descobriram o que todos que andam de bicicleta sabem: ela proporciona boa forma, descontração e mais vivacidade. As mulheres ganharam mais independência, melhor condicionamento físico e, como brinde, liberdade daquelas roupas constritoras e representativas das cadeias sociais.

O veículo da liberdade feminina

O censo americano de 1900, publicado mais de vinte anos após a introdução da bicicleta, afirmava, "Poucos objetos utilizados pelos seres humanos originaram uma revolução tão grande nas convenções sociais como a bicicleta." Para as mulheres, isto foi especialmente verdade.

A bicicleta continua sendo a paixão dos pensadores avançados. Mesmo hoje ela é o centro de muitos movimentos reformistas. Jacquie Phelan, por exemplo, uma feminista "mountain biker", fundou os WOMBATS ou Women's Mountain Bike and Tea Society. Eleita três vezes campeã mundial como uma das dez melhores mountain bikers de todos os tempos, Phelan luta incansavelmente pela igualdade. Advoga dois preços para bicicletas, baseada nos 59 centavos de dólar que cada mulher ganha para cada dólar ganho por um homem.

Como a bicicleta continua auxiliando as mais variadas causas, é importante lembrar qual foi sua primeira batalha. Liberação é palavra facilmente associada à bicicleta. Pedalar numa estrada com o vento batendo no rosto é uma experiência libertária, mas para as primeiras ciclistas, um simples passeio de bicicleta foi libertário de modo muito mais profundo.

 Fonte: Fio de seda mental, por Christopher Connolly

domingo, 19 de abril de 2015

Dois grupos de componentes Shimano estão entre os mais desejados do mundo

Em votação aberta por site inglês, ciclistas elegem seus preferidos: Dura-Ace Di2 e XTR Di2


O BikeRadar's 2015 Most Wanted Awards, promovido pelo site bikeradar.com, colocou dois grupos da Shimano entre os mais desejados pelos ciclistas. O Dura-Ace Di2 (Estrada) e o XTR Di2 (Mountain Bike) terminaram a votação em primeiro lugar na preferência dos internautas.


A Shimano dominou a eleição nos grupos de estrada, pois o Ultegra Di2 foi o segundo mais votado. O site inglês creditou o título do Dura-Ace Di2 à "velocidade" e ao "deslocamento impecável" que este oferece aos ciclistas. "É mais leve que a versão mecânica, pode ser programado para atender preferências pessoais e ainda é possível configurá-lo com botões auxiliares que se adequam a atletas especialistas em Sprint ou escalada", explicou o portal.

Na avaliação da preferência pelo XTR Di2 entre os praticantes do Mountain Bike, o bikeradar.com ressaltou que, mesmo com pouco tempo de mercado, o conjunto já aparece como o predileto dos ciclistas. "O desenvolvimento do XTR Di2 foi focado em deixá-lo mais resistente, com motores mais potentes para um deslocamento mais preciso em condições difíceis de pedalar. Existe também uma opção programável de mudança de marchas, chamada Synchronized Shift, que faz mudança dianteira automaticamente, e oferece ao ciclista o menor intervalo possível na troca de marchas", ressaltou o site.

Fonte: Vítor Dalseno / Doro Jr

Já experimentou usar os serviços de um bike courier?

Já experimentou usar os serviços de um bike courier? O trabalho realizado por esses profissionais, também conhecidos como bike boys ou bike, têm ganhado cada vez mais espaço no cenário caótico de São Paulo.

Confira a reportagem e conheça mais sobre esse serviço.


Fonte: Youtube

5 minutos...


Peguei a bicicleta e fui muito na agilidade para o banco pagar umas contas... fui lá, fiz o que precisava, etc. Peguei a bike no bicicletário do banco e ia para um rolézinho. Vi que o pneu da frente precisava de um arzinho. "Vou passar no posto de gasolina pra encher o pneu!"

Coloquei o limite de pressão indicada no pneu... me apoiei no guidão e tudo bom!  Bah... bike de pneu cheio é outra coisa, e já fui pedalando e me sentindo turbinado pelos pneus bem cheios. Joguei o peso do corpo na roda da frente e o pneus começou... psssssssssssss Takilpario! Bem na hora que eu passava do lado de um ponto de taxi. Vi que o motorista, um senhor de idade, uns 70 anos... ficou olhando, mas fiz de conta que não vi.

Encostei a bike no ponto de taxi, pois tinha um ótimo banco de madeira para auxiliar na operação de conserto de pneu. Abri o bauleto de nylon... puxei uma câmara que já era consertada pelo Tchaka. Arranquei a roda da frente, soltei o pneus com as mãos, mesmo. Nem estou  mais levando espátula.

Peguei a bomba de quadro, dei uma dúzia de bomba na câmara para inflar antes de encaixar no pneu. Coloquei a câmara dentro do pneu e encaixei o primeiro bordo do pneu na câmara, depois o outro, encaixei tudo com a mão. Bombei rapidamente, mas sem pressa... logo estava pronto e encaixei a roda no devido lugar. O motorista do taxi continuava olhando. Antes de subir na bike, me abaixei e olhei pra dentro do taxi. O senhor motorista, pasmo, disse... "rapaz, vc não levou 5 minutos pra consertar o pneu!"

E eu respondi... "é que hoje não tenho pressa, é meu dia de folga!" hehehehehe

Hoje, penso só uma coisa... em coisas que favoreçam meu conforto. Se precisar de muitas ferramentas, ou se tiver que trocar o pneu da bike na rua... que seja leve e fácil! Não precisa nem de 5 minutos... mas eu também não quero mais correr! ;)

Fonte: bikesdoandarilho.com - Por: Roberto Furtado 

Saiba o que comer para melhorar seu desempenho no esporte


Para garantir o melhor desempenho esportivo, a alimentação pré, durante e pós-atividade deve ser rica em carboidrato, pois é a principal fonte de energia do organismo. Mas deve-se saber escolher a qualidade do carboidrato para obter o efeito desejado.

Pré-treino

Consumir os alimentos de 30 minutos a uma hora antes do treino.

Prefira suco de frutas de caixinha com açúcar, bolachas e bolos simples, torradas, pães, milho, batata, mandioca, arroz branco, trigo refinado, geleia, mel, frutas de alto índice glicêmico, como a banana, figo, uva, manga, damasco, uva passa, banana passa, tâmara, ameixa seca.

Evite excesso de proteína, como queijos, iogurte, leite, carnes, excesso de gordura, como margarina, manteiga, queijo e molhos gordurosos, frituras, alimentos industrializados ricos em gordura, como sorvete, bolachas recheadas, excesso de fibras, como cascas e bagaços das frutas, alimentos integrais, farelos de cereais e barrinha de cereal.
Exemplo de lanche: uma banana mais um punhado de uva passa ou uma fatia de pão com geleia ou suco de três frutas diferentes.

Durante o treino

Quando a prática é desportiva, sem fins competitivos, a água supre a necessidade de hidratação para atividades com duração máxima de uma hora. Se ultrapassar uma hora, bebidas isotônicas devem ser ingeridas.

Para fins competitivos é mais indicado o consumo de bebidas esportivas. Nos treinos de ciclismo de curta duração (até uma hora) e alta intensidade, é indicado o uso de bebidas isotônicas e gel de carboidrato.

Nos treinos longos, poderá ingerir alimentos de fácil digestão, como frutas sem bagaço e casca, maçã, banana ou pêra, sanduíches com pouca proteína, fibra e gordura, como bisnaguinha com um pouco de requeijão light, bolos e bolachas sem recheio, suco de frutas ou gel de carboidrato. Preste atenção na sua tolerância gástrica. A bebida isotônica também poderá ser consumida ao longo do treino para garantir a hidratação e suplementos hipercalóricos diluídos em água para repor as perdas de carboidrato, proteína e gordura, e também fornecer energia.

Pós-treino

O objetivo da alimentação no pós-treino é recuperar a energia do músculo.

Essa refeição deve acontecer até duas horas após o término da atividade física e deve conter todos os nutrientes, carboidrato, proteína e gordura.

Exemplo do almoço ou jantar: um prato de macarrão com molho de tomate acompanhado de uma carne grelhada ou purê de batatas com peixe grelhado, verduras e legumes variados temperados com azeite de oliva, e uma fruta de sobremesa.

Exemplo de lanche: sanduíche de pão integral com pasta de atum, preparada com requeijão light ou ricota, alface e cenoura ralada e um suco de frutas ou iogurte desnatado com cereal e morangos picados.

Fonte: Revista Bicicleta por Amanda Miranda e Beatriz de Andrade Vilela

26, 27.5 ou 29 - Qual é a mais rápida?

Foto: blasbike / Depositphotos
As discussões em relação ao tamanho das rodas continuam agitando o mercado do MTB, mas até agora, essas discussões se baseiam primordialmente em especulações. Em busca de uma resposta mais confiável, o portal inglês Bike Radar realizou um estudo científico em parceria com a Universidade Central Lancashire, para tentar responder qual dos tamanhos de roda é mais rápido.

Em um percurso de XCO de 3,8 km, com subidas, trechos técnicos e descidas longas, bicicletas com a mesma configuração, variando apenas o tamanho das rodas, foram testadas. Consumo energético, potência exercida, desgaste e uma série de fatores foram monitorados. Além do tempo da volta completa, também foram tomados os tempos em cada trecho. E o resultado: as bikes 29 se deram melhor.

Algumas conclusões do estudo surpreendem por irem contra o senso comum. Por exemplo, as 26 foram melhores nas descidas, as 29 foram melhores nas subidas, e a 27.5, ao invés de ser o melhor dos dois mundos, na verdade teve o pior desempenho entre as três.

Mas como explicar, então, o ótimo desempenho de Nino Schurter com a 27.5? Talvez haja mais questões a serem analisadas. De qualquer forma, é bom que tenhamos dados científicos para mensurar o rendimento e entender melhor essa variedade de opções de tamanho.

Confira os vídeos:



Fonte: Revista Bicicleta

sábado, 18 de abril de 2015

Limpeza básica da bicicleta com produtos de baixo custo

Navegando na net, vi este vídeo que mostra como cuidar da bike de forma barata fazendo aquela limpeza mais que necessária.


"Lembrando que executar a limpeza da forma que sugerimos é importante para aumentar a vida útil dos componentes da bicicleta, mas não dispensa a necessidade de recorrer a uma oficina para fazer a revisão periódica."

Fonte: BikeAnjo Salvador

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Pedalando com a ASCONT

A ASCONT (Associação Santacruzense de Contabilistas) estará promovendo no dia 25 deste mês de Abril ás 14:00h (duas da tarde), uma PEDALADA com percurso de 8 km aproximadamente e conta com a presença de todos os incentivadores da prática ciclística de Santa Cruz.

Nós que fazemos o Blog Ciclo Mania apoiamos esta idéia e esperamos o máximo de amigos ciclistas na divulgação e participação deste evento que tem como objetivo:

  • Incentivar e captar recursos para a construção da sede própria da ASCONT;
  • Despertar contabilistas e sociedade santa-cruzense para a prática esportiva através do ciclismo, resultando em bem-estar social e melhor qualidade de vida para todos;
  • Demonstrar a sociedade que o uso da bicicleta economiza tempo se contabilizado o gasto no trânsito com veículos automotores.

Serão oferecidos os Serviços:
  • Guarda Municipal (Organização e segurança do Trânsito para os participantes);
  • Ambulância (Emergência);
  • Kit para participantes:
    • 1 Camiseta do Evento;
    • 1 Boné personalizado.
  • Frutas;
  • Água;
  • Balões (enfeitar a bicicleta)
Contatos com: Guilherme Aragão
Diretor de Eventos - ASCONT
(81) 9905-1739 TIM

sábado, 4 de abril de 2015

Pedalada da Paixão 2015

E tivemos presente em mais uma Pedalada da Paixão e com muita alegria juntamos as tribos e todos seguiram juntos pelos 55km que separam Santa Cruz até Fazenda Nova.

Muitas turmas de pedal se fizeram presentes com as promoções realizadas pela Hil Bikes e também Iran Bikes, que deram total apoio as centenas de ciclista que invadiram o asfalto.