Subscribe:

Parceiros

.


terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Relive lançado no Brasil

Você quer reviver suas aventuras ao ar livre e compartilhar essa experiência? Graças ao Relive, um novo e gratuito aplicativo, suas pedaladas, corridas e trilhas agora podem ser compartilhadas em 3D, com um vídeo mostrando sua rota, destaques de desempenho, fotos e companheiros de treino.

Foto: Divulgação
O Relive é lançado oficialmente no Brasil, o primeiro país a ter a sua própria versão traduzida do app.

“Muitos dos melhores vídeos e usuários mais empolgados vem do Brasil. É incrível ver uma comunidade de esportes ao ar livre compartilhando suas aventuras ao redor de todo o país. Foi por isso que começamos a trabalhar em uma versão completamente brasileira do Relive”; diz Joris van Kruijssen, cofounder of Relive.


“Para celebrar o lançamento, os usuários estão compartilhando seus melhores vídeos do Relive gerados no Brasil com a #ReliveBrasil no Instagram, Facebook e Strava. Os vídeos mais impressionantes serão compartilhados com o mundo e recompensados com uma assinatura gratuita do Relive Club.”


A ideia do Relive nasceu de três amigos holandeses em uma viagem de bicicleta. Como muitos ciclistas, eles amam explorar o mundo em suas bicicletas e gostariam de capturar essas memórias e compartilhar as histórias vividas na estrada. Agora, a comunidade cresceu para bem mais de 1 milhão de entusiastas dos esportes ao ar livre ao redor do mundo.

“Com o Relive, você revive as suas viagens e permite que seus amigos e familiares também façam parte dessa experiência. Todos podem ver o que você alcançou ao longo da sua pedalada, corrida ou trilha; seja subir grandes elevações, percorrer grandes distâncias ou testemunhar vistas incríveis.”

Você pode baixar o aplicativo Relive para iOS ou Android. Não há necessidade de mudar seu aplicativo de monitoramento esportivo habitual. O Relive conecta com seu Strava, Garmin, Endomondo ou Polar.

Siga o Relive:
Facebook - Instagram - Twitter - Strava

Por RAPHAEL PAIS

Dicas para manter a forma mesmo nas férias sem deixar de lado o lazer e a diversão

Curtir a viagem sem abrir mão da rotina saudável dos exercícios físicos é mais fácil do que parece

Foto: ShutterStock_114973900
Permanecer em forma nas férias dá a impressão de ser uma missão impossível. Afinal, com todas aquelas comidas deliciosas e opções de bebidas ao nosso redor, como resistir? Por outro lado, ficar trancafiado em uma academia de hotel por horas e horas não é uma ideia interessante.

O resultado de abrir mais a boca e diminuir o ritmo das atividades físicas já se tornou um velho conhecido: surgimento de indesejáveis quilinhos extras que nos acompanham desde o início do ano.

A dra. Karina Hatano, médica do exercício e do esporte, explica que, embora seja fundamental relaxar o corpo e a mente, isso não significa ficar o tempo todo deitado na rede. “Manter-se ativo ajuda a conservar a forma e aproveitar ainda mais a viagem, além de representar um excelente auxílio para quem padece de intestino preso quando está fora de casa”, comenta ela. A especialista, dá algumas preciosas dicas para ficar saudável e ao mesmo tempo se divertir:

Nadar - Exercício perfeito, principalmente se você está em uma região quente.

Caminhar – dispense o aluguel de carro e faça turismo a pé, o melhor jeito de conhecer a cidade, ver as principais atrações e não abrir do estilo saudável, sobretudo se você estiver em um lugar bonito e em boa companhia.

Pedalar - Alugar uma bicicleta é um ótimo modo de explorar o local em que se está visitando. Seja nas ruas da cidade ou em parques e campo. A maneira certeira de perder uns quilinhos.

Surfar - Se está na praia, agende umas aulas de surfe. Uma atividade divertida para toda a família.

Tênis - Diversos hotéis possuem quadras de tênis, então vale a pena reservar o espaço para garantir uma partidinha.

Yoga - Inclua o tapete de yoga na mala. Ideal se não há muito espaço para outros aparelhos e quando está quente demais do lado de fora para outro tipo de atividade.

Outra possibilidade é fazer um exercício rápido no quarto de hotel, todas as manhãs. “Agachamentos e flexões por cerca de 20 minutos são uma ótima pedida como também uma corrida a cada dois ou três dias para, inclusive, desfrutar melhor da paisagem”, acrescenta Karina.

A doutora ainda reforça a importância de aumentar o consumo de água (três a quatro litros por dia). À noite, aconselha evitar as sobremesas: “caso seja inviável abdicar do docinho, tome um sorvete mais cedo, ainda durante o dia, de preferência após o almoço”. É que o açúcar ingerido nesse caso se mistura com outros nutrientes, como fibras da salada, proteínas e gordura da carne além de evitar picos de insulina no sangue.

“Por outro lado, quando ingerimos doces em um horário que compreende o jantar e a hora de dormir as calorias tendem a ser armazenadas no corpo como gordura em vez de queimadas como energia”, finaliza a médica.

Sobre a Dra. Karina Hatano
Karina Hatano é médica do exercício e do esporte, mestre em Medicina Esportiva pela Universidade Federal de São Paulo, onde também realizou a Residência Médica em Medicina do Esporte, além de acumular especialização em fisiologia do exercício e nutrologia. Preceptora da Medicina Esportiva da Universidade Federal de São Paulo e professora da Liga de medicina esportiva da UNIFESP, também é responsável pela saúde de atletas de alta performance de diversas modalidades esportivas, como da seleção brasileira de natação e das confederações brasileiras de beisebol e softbol.

Fonte: RevistaBicicleta por - Karina Hatano

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Manutenção preventiva: o que checar na bicicleta antes do pedal

Foto: Divulgação
Quem usa a bicicleta como meio de transporte ou apenas por lazer aos finais de semana não se preocupa muito com a manutenção preventiva dos componentes da bike. Pois saiba que não é preciso ser um mecânico profissional para cuidar corretamente da sua magrela – e, de quebra, diminuir consideravelmente as chances de ter problemas no pedal e aumentar a vida útil da bicicleta.

Para dar algumas dicas pra você, convidamos Júlio César Doná, que é auxiliar aqui da Escola Park Tool. Primeiro de tudo, ele listou 6 pontos importantes que devem ser checados antes do pedal. São eles:

1- limpeza da bicicleta
2- medição e lubrificação da corrente
3- verificação e correção da pressão dos pneus
4- verificação de cortes ou avarias nos pneus
5- observação de barulhos estranhos e diferentes do normal
6- verificação e correção dos sistemas de freios, especialmente as pastilhas e sapatas

Para fazer esta manutenção preventiva, ter conhecimento sobre os componentes da bicicleta é muito importante. Se você não tem muita experiência, talvez um curso básico de mecânica pode te ajudar – dê uma olhada neste link que tem informações importantes para você.


Equipamentos
Para uma boa limpeza da sua bicicleta, é importante ter alguns itens em casa. De acordo com Júlio César, luvas de borracha, óculos de proteção, balde, sabão neutro e um desengraxante apropriado são importantes. E não se esqueça: NUNCA use desengraxantes à base de derivados de petróleo.

Na limpeza, que é parte importantíssima da manutenção preventiva da bicicleta, também é aconselhável utilizar uma escova dura e apropriada para a corrente e o cassete. Para o quadro, o ideal é usar uma escova macia.

Dica bônus do especialista: na lubrificação da corrente, use SEMPRE lubrificantes próprios para bicicleta. Nem pense em querosene ou óleo não apropriado.

Estes são os conselhos do especialista para manter o equipamento em ordem e funcional com uma ótima manutenção preventiva.

Fonte: Escola Park Tool

Nutricionista dá dicas para não exagerar nas férias de fim de ano - Moderação é a principal receita.

A nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Cintya Bassi,  dá algumas dicas para começar 2017 mais saudável.

Foto: Depositphotos
De acordo com a nutricionista, as comidas mais calóricas estão liberadas, porém deve haver um equilíbrio. “É um dia de festa e não uma alimentação cotidiana. Por isso, pode, sim, comer algo mais calórico. Contudo, é necessário moderar nas porções e mesclar com alimentos saudáveis, como frutas, sucos naturais e saladas, além de cuidar da hidratação. O ideal é que a dieta seja equilibrada durante o ano todo, assim não será um dia comendo um pouco mais que trará consequências ruins ao organismo”, explica. Ela aconselha experimentar pequenas porções dos pratos que mais gosta e priorizar o preparo dos alimentos com produtos frescos e naturais ao invés de industrializados. Outro ponto importante é se alimentar ao longo do dia para evitar a falta de controle à noite nas ceias.

Entretanto, nem todas as comidas típicas dessa época do ano não são consideradas saudáveis. “As frutas oleaginosas, como castanhas, nozes, amêndoas e pistache são ótimas fontes de nutrientes. Além delas, as frutas secas e desidratadas também são nutritivas. Quanto às carnes, prefira magras, como lombo, peru, frango e peixes. O arroz, se possível, substitua o comum pelo integral”, recomenda Cintya.

Quanto às bebidas, a nutricionista alerta para evitar ou consumir com moderação refrigerantes e bebidas alcoólicas, pois possuem alto valor calórico e nenhum benefício nutricional, excetuando o vinho. “Sempre que possível substitua essas bebidas por água de coco, água aromatizada ou sucos naturais. Duas boas opções para hidratar, refrescar e auxiliar na digestão são o suco de melancia com gengibre e o de abacaxi com hortelã”.

Já os doces certamente são os mais difíceis de resistir. Por isso, o conselho é optar por aquele preferido, mesmo assim de maneira moderada. Caso vá preparar os doces do fim de ano, procure cozinhar os menos calóricos, como a rabanada assada ao invés da frita e o chocolate com maior concentração de cacau.

Agora com essas dicas é só aproveitar as férias.

Receita Pavê Light de Morango e Chocolate
Ingredientes:


2 pacotes de biscoito de chocolate sem recheio, integral
2 colheres de margarina light
1 lata de creme de leite light
1 lata de leite condensado light
200 g de chocolate branco diet
300 ml de leite desnatado
2 colheres (sopa) de amido de milho
50 g de açúcar light
2 xícaras de morangos lavados e picados

Preparo: Triture o biscoito, misture com a margarina derretida e com a massa forre um refratário. Leve ao forno médio por aproximadamente 5 minutos. Após, prepare o creme branco, misturando primeiramente o creme de leite e o leite condensado em fogo baixo, depois acrescente o amido de milho dissolvido no leite ainda frio. Mexa até engrossar. Em outra panela, derreta o chocolate em banho maria e acrescente ao creme branco ainda quente. Por último, coloque o açúcar e mexa até homogeneizar.

Jogue o creme branco sobre a massa de biscoitos e, quando estiver frio, jogue os morangos por cima. Leve à geladeira.

Bora pedalar

Fonte: Máquina Cohn & Wolfe

Chris Froome nega uso intencional de doping e se diz inocente

Atleta declarou que provará sua inocência no decorrer de processo
Chris Froome
Foto: Getty Images
O ciclista britânico Chris Froome, quatro vezes campeão da Volta da França, declarou na quinta-feira (14/12/2017) em entrevista coletiva não ter feito intencionalmente o uso de doping e afirmou que acredita que o processo o inocentará.

"Sei que dentro de mim fundamentalmente eu segui o protocolo e eu acredito não ter ultrapassado nenhum limite. Espero que até o final deste processo, que será claro para todos, eu serei exonerado de qualquer transgressão", afirmou.

A União Ciclística Internacional (UCI) anunciou oficialmente na quarta-feira (13/12/2017) que Froome foi reprovado em exame antidoping realizado em setembro durante a Volta da Espanha. No entanto, optou por não puni-lo preventivamente. A entidade pediu apenas que o atleta forneça mais informações após teste realizado durante a competição apontar o uso, em alta quantidade, de uma substância que está em um medicamento normalmente prescrito para combater a asma.

As declarações de Froome foram feitas em coletiva promovida pela sua equipe, a Sky, que também confirmou o resultado positivo do exame. As amostras de urina revelaram concentração de salbutamol de 2.000 nanogramas, o dobro do que é permitido pela UCI.

"Fui testado durante todos os dia durante a corrida, porque sempre estive na liderança. Sabia que teria que fazer os testes", afirmou. "Nós também temos todos os detalhes do meu dia a dia dentro da equipe: o que eu comi todos os dias, quantas vezes parei para fazer xixi. O detalhe que podemos fornecer é vasto", prosseguiu.

RIVAL INDIGNADO - O ciclista alemão Tony Martin se mostrou indignado com a postura da UCI, que optou por não suspender Froome e dar tempo para ele se explicar.

"Estou muito bravo", postou no Facebook. "Outros atletas são suspensos imediatamente depois de testar positivo. Ele e sua equipe estão tendo tempo para se explicar. Não tenho notícia de algum caso similar a esse. Isso é um escândalo e ele não poderia ser autorizado a disputar qualquer campeonato mundial. Será que ele e a equipe dele têm uma posição especial?", emendou.

A UCI não se pronunciou sobre essas acusações. Em comunicado oficial, a Sky informou que Froome precisou de uma dose a mais da medicação por ter tido uma crise asmática, mas que a dose não havia sido dada além do permitido pela entidade.

Fonte: R7

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Saiba tudo sobre alongamento muscular!

Antes ou depois das atividades físicas? Pode ser feito por todos? Fisioterapeuta Bernardo Sampaio tira as principais dúvidas sobre o tema.
http://www.girobike.com.br
Foto: Divulgação
 Ao praticar atividades físicas, sempre se ouve falar sobre a necessidade de “alongar” antes da realização dos exercícios de maior impacto, mas será que todos sabem o porquê e a importância dessas “preliminares”?

O alongamento se dá pelo estiramento dos tecidos do corpo, afastando o músculo de um ponto ao outro, com o objetivo de dar mais agilidade, aumentar a amplitude do movimento muscular e da elasticidade.

Isso acontece, pois fisiologicamente o alongamento baseia-se num efeito neurofisiológico que envolve o reflexo de estiramento. O efeito final é o relaxamento do músculo e a melhora da flexibilidade do mesmo.

Entretanto, a importância do alongamento ainda é um tema amplamente discutido, pois as evidências científicas são controvérsias em relação aos benefícios de prevenção e recuperação muscular por exemplo. Existem indícios que têm demonstrando efeito em curto prazo.


Quando se deve fazer o alongamento?
Antes ou depois de atividade física? Como muitos pontos em relação ao alongamento, a resposta ainda fica em cima do muro. O que sabemos até então é que estudos mostram que há uma redução na capacidade de força isométrica do músculo logo após alongamento intenso, predispondo a uma menor eficiência e reduzindo o desempenho na prática esportiva, principalmente em corridas.

Portanto alongamentos severos ou de alta intensidade que antecedem a prática esportiva não apresentam benefícios como forma de aquecimento.

Após a atividade física o alongamento provoca pequeno benefício nas dores musculares e na recuperação das mesmas. A recuperação pós atividade deve ser feita gradualmente com outras intervenções ativas ou passivas. Isto não nos diz que é contraindicado, mas sim não a única solução como acreditava-se. Por hora, após atividade física alongamentos leves podem sim trazer um leve benefício e conforto para a musculatura.

Principais benefícios
Em resumo, os benefícios do alongamento em indivíduos que não apresentam patologias, como as neurológicas, por exemplo, são melhora da mobilidade em longo prazo de acordo com um programa de exercícios e relaxamento muscular momentâneo.

Indicações
O alongamento é indicado para pessoas que apresentam encurtamento muscular e falta de flexibilidade. Ele pode ajudar no relaxamento destes músculos e consequentemente treiná-los a “aumentar a capacidade” de estiramento.

Contraindicações 
Estão contraindicados alguns alongamentos para pessoas que apresentam alguma condição dolorosa, como por exemplo, dor ciática. Em muitos casos o alongamento dos músculos posteriores das pernas pode agravar o caso. Nestes casos de condições específicas é sugerido diagnóstico orientação profissional para cada caso em específico.

Dicas de exercícios
Alguns alongamentos básicos podem ser realizados diariamente como:

  • Segurar a cabeça com uma das mãos e levemente puxá-la levando uma orelha em direção ao ombro;
  • De pé com o joelho dobrado segurar o pé com uma das mãos e tentar flexionar um pouco mais o joelho;
  • Deitado de barriga para cima, mantendo as pernas esticadas, trazer um joelho de cada vez em direção ao peito enquanto a outra perna se mantém esticada;
  • Ainda de pé pode-se fazer o alongamento da “batata da perna” apoiando a ponta dos pés em um degrau e deixando o calcanhar se mover para baixo.

Obs.: manter cada repetição por 30 segundos.

Bernardo Sampaio é o fisioterapeuta responsável pela Unidade de Guarulhos do ITC Vertebral e do Instituto Trata. É também diretor regional da Associação Brasileira de reabilitação de coluna – ABR Coluna. Graduado pela PUC- Campinas e com formação em osteopatia clínica pela Académie de Thérapie Manuelle Et Sportive (Belgica), o profissional também possui especialização em fisioterapia músculo esquelética, aprimoramento em membro superior e oncologia ortopédica pela Santa Casa de São Paulo.

Saiba mais em: www.institutotrata.com.br e www.itcvertebral.com.br

Fonte: Eu vou de bike

Peter Sagan e BORA - Hansgrohe concordaram em encerrar a disputa legal e a controvérsia sobre a desqualificação de Sagan de Tour de França deste ano.

Foto: Divulgação
Antes da audiência no Tribunal de Arbitragem para o Desporto (CAS) em Lausanne prevista para 5 de dezembro de 2017, a Union Cycliste Internationale (UCI), Peter Sagan e BORA - hansgrohe concordaram em encerrar a disputa legal e a controvérsia sobre a desqualificação de Sagan de Tour de França deste ano.

Peter Sagan foi desclassificado após um acidente no sprint no final da quarta etapa em Vittel.

Imediatamente após a desqualificação, Peter Sagan e BORA - hansgrohe apelaram da decisão do júri de corrida com o CAS e, para permitir que Peter Sagan termine o Tour, solicitou uma suspensão temporária da desqualificação. Como é sabido, este pedido foi negado pelo CAS; posteriormente, no entanto, todas as partes envolvidas tiveram a oportunidade de fornecer provas e chamar testemunhas. Em 5 de dezembro de 2017, o CAS estava programado para ouvir o assunto em Lausanne.

Tendo considerado os materiais apresentados no processo do CAS, incluindo imagens de vídeo que não estavam disponíveis no momento em que o júri de corrida havia desqualificado Peter Sagan, as partes concordaram que o acidente foi um acidente de corrida infeliz e não intencional e que os Comissários da UCI tomaram sua decisão com base no seu melhor julgamento nas circunstâncias. Nesta base, as partes concordaram em não continuar com os procedimentos legais e se concentrar nas medidas positivas que podem ser tomadas no futuro.

O novo residente P da UCI, David Lappartient , comentou sobre a posição da UCI da seguinte forma: "Estes procedimentos mostraram o quão importante e árduo é o trabalho dos Comissários da UCI. A partir da próxima temporada, a UCI pretende contratar um "Comissário de Apoio" para auxiliar o Painel dos Comissários com experiência em vídeo especial nos principais eventos do UCI World Tour ".

O campeão do mundo UCI Peter Sagan está satisfeito com este desenvolvimento: "O passado já foi esquecido. Trata-se de melhorar nosso esporte no futuro. Congratulo-me com o fato de que o que aconteceu comigo em Vittel mostrou que o trabalho dos Comissários da UCI é difícil e que a UCI reconheceu a necessidade de facilitar seu trabalho de forma mais efetiva. Estou feliz que o meu caso conduzirá a desenvolvimentos positivos, porque é importante para o nosso esporte tomar decisões justas e compreensíveis, mesmo que as emoções às vezes sejam aquecidas ".

BORA - O gerente da equipe de hansgrohe, Ralph Denk, acrescenta: "Sempre foi nosso objetivo deixar claro que Peter não causou a queda de Mark Cavendish. Esta foi a posição de Peter desde o primeiro dia. Ninguém quer que os pilotos caiam ou se machuquem, mas o incidente em Vittel foi um acidente de corrida, como pode acontecer no decurso de um sprint. Meu trabalho como gerente de equipe é proteger meus pilotos e patrocinadores. Eu acho que é isso que nós, como equipe, fizemos. Eu sou reforçado na minha opinião que nem Peter nem BORA - hansgrohe cometeram qualquer erro ".

Fonte: UCI

Que bike comprar?

O primeiro e grande equívoco é a compra em magazines e hipermercados.

Uma história triste, mas não rara, principalmente quando é relatada por profissionais do ramo e especialistas no varejo de bicicletas. O que ocorre nestes casos é a desinformação sobre a aquisição de uma bike. São erros clássicos a qual muitas das pessoas não habituadas ao mercado das bicicletas cometem.
Foto: © kasto / depositphotos
O primeiro e grande equívoco é a compra em magazines e hipermercados, estes estabelecimentos por natureza são meros revendedores, não tem expertise para auxiliar o comprador.

Á reboque deste erro vem a falta de qualidade. Justifico: Para o este tipo de revendedor o atrativo é o preço baixo e a qualidade fica á parte deste processo.

 Justamente neste ponto nascem as maiores frustrações do “ex-futuro ciclista”, uma compra por impulso, motivada por pesadas campanhas de marketing no ponto de venda e principalmente sem o auxílio mais técnico do vendedor ensejaram negativamente toda expectativa presente na compra.

O cliente passa a acreditar não ser capaz de pedalar com prazer qualquer bicicleta a partir daquela terrível experiência.

Uma loja especializada poderia ter feito a diferença.

O primeiro e grande equívoco é a compra em magazines e hipermercados.
Resumindo não há bicicleta certa. Há bicicleta correta para cada biotipo, estilo e para cada função a ser desempenhada pela magrela. Diversão? Transporte? Mobilidade? Esporte? Que esporte?

© kasto / depositphotos
O cliente passa a acreditar não ser capaz de pedalar com prazer qualquer bicicleta a partir daquela terrível experiência.

Também não são meros detalhes a idade, altura do ciclista, comprimento de membros superiores e inferiores e, portanto ajustes da bike ou bike fit para os mais habituados ao pedal não podem ser ignorados.

Grosseiramente comparando, ninguém compra uma Ferrari para trabalhar na fazenda em estradas de terra e tão pouco uma caminhonete utilitária para fazer bonito em encontros de carros esportivos.

Procure uma loja especializada, com vendedores que também pedalam e gostam do que fazem. Fica a dica.

Fonte: Revista Bicicleta por Érico Pereira Corrêa