Subscribe:

Parceiros

.


sábado, 31 de dezembro de 2016

Ansiedade pré-pedal

“Amanhã vai ser duro aguentar o pedal”. “Impossível subir aquele morro pedalando, vou sobrar e atrasar o pelotão”. “Eu acho que não estou preparado para essa corrida, nem vou largar”. “Acho que minha preparação não foi suficiente, vou deixar esse Audax para uma próxima oportunidade”. “O pedal ainda nem começou e já estou com o coração na boca”. “Dá um frio na barriga só de pensar no pedal de amanhã”. “Não consegui dormir essa noite, talvez seja melhor cancelar esse pedal”.

Foto: © Ion Chiosea / 123rf
As frases ao lado talvez exemplifiquem o que muitas vezes pensamos nos dias que antecedem um pedal, seja ele um pedal de treino duro, uma competição (ainda que amadora), um cicloturismo por uma região desconhecida e até mesmo um pedal com um grupo de colegas que pedala com um ritmo mais forte. Independente do contexto, a ansiedade pode se fazer presente e em alguns casos pode nos trazer grande desconforto, ou nos levar à desistência de um projeto tão esperado.

A ansiedade está presente em diversas situações. Existem pessoas que ao ver um morro já sentem o coração acelerando e antes de começar a escalar já estão sentido o “coração na boca ”. Outras pessoas ao avistarem uma descida mais técnica ou íngreme sentem aquele frio na barriga, a tensão muscular aumenta e até pra modular a força no freio fica difícil. A ansiedade pode nos atrapalhar em diversas situações de nossa vida, seja no esporte ou na vida pessoal. Conseguir gerenciar a ansiedade é algo importante e qualquer pessoa pode aprender isso. Então, é preciso saber identificá-la.

O que é ansiedade?

Ansiedade pode ser definida de maneira geral como um estado psíquico de apreensão ou medo devido a uma situação desagradável ou perigosa, sempre acompanhada de sintomas físicos. O foco do perigo antecipado pode ser externo (está no ambiente, fora de nós), ou interno (pensamentos, crenças). A ansiedade quando dentro de certos limites é natural e útil, funciona de maneira adaptativa, incitando a pessoa a procurar soluções positivas. O problema é quando ela atinge um limiar elevado e com um caráter sistemático, assim sendo o que devia ajudar acaba por se tornar um grande problema.

Ansiedade pré-competitiva ou “pré-pedal”: (antes do pedal com os amigos, competição, desafio, cicloturismo): é aquela que ocorre cerca de 24 h antes de uma competição ou evento e provoca um sentimento negativo e desagradável. Nós comumente chamamos essa condição de “estar muito nervoso”. Normalmente quando temos certeza sobre nossa preparação, ou seja, nossa capacidade de enfrentar um desafio está equilibrada com as exigências do pedal, a ansiedade se mantém em níveis favoráveis. Mas quando a percepção da nossa capacidade frente à demanda é incerta ou insuficiente, a sensação de ameaça iminente pode se estabelecer e os níveis de ansiedade podem trazer prejuízos.

Alguns sintomas da ansiedade:

Fisiológicos e motores: respiração acelerada e curta, batimentos cardíacos acelerados, tensão muscular, dores de estômago, diarreia e micção frequente, fadiga excessiva, sudorese profusa, mãos úmidas, formigamento no estômago, palpitações, leve tontura, dor de cabeça, boca seca, agitação ou dificuldade de se concentrar, insônia etc.

Psicológicos: pensamentos negativos e intrusivos, autodiálogo negativo, foco reduzido e redundante sobre algum aspecto específico desconsiderando os demais, incapacidade de concentração, emoções à “flor da pele” etc.

O impacto da manutenção desse estado ansioso por um longo tempo pode ser contraproducente para todos nós, já que envolve um desgaste considerável para o ciclista.

O desgaste físico e mental pode causar um esgotamento prévio que atrapalhará consideravelmente a performance do ciclista durante o pedal, impedindo-o de aplicar tudo aquilo que planejou e aprendeu durante os treinos. O aproveitamento fica reduzido e o que deveria ser um momento de descontração e diversão se torna um tormento e os objetivos planejados podem não ser alcançados, gerando intensa frustração.

Como gerenciar e superar a ansiedade pré-competitiva ou “pré-pedal”?

O primeiro passo é identificar o seu estado. Saber reconhecer um estado de ansiedade possibilita que ações para gerenciá-lo sejam postas em prática. Basicamente, para gerenciar a ansiedade temos de regular o nosso nível de ativação, através do uso de técnicas somáticas (controle das respostas fisiológicas da ansiedade) e técnicas cognitivas (técnicas para controle dos pensamentos).

Técnicas somáticas

As técnicas somáticas estão centradas nas respostas fisiológicas do organismo. Ou seja, busca a identificação e alteração dos padrões fisiológicos presentes na ansiedade. Por exemplo: uma pessoa ansiosa apresenta tensão muscular em algumas regiões do corpo, respiração curta e rápida aliado a batimentos cardíacos acelerados. Então, o que acontece se relaxássemos as tensões musculares e respirássemos de maneira longa e lenta? Logo as respostas fisiológicas se tornariam contrárias as da ansiedade, diminuindo ou mesmo neutralizando as sensações desagradáveis. As técnicas somáticas servem para que a pessoa aprenda a controlar seu nível de ativação, identificando, experimentando e alterando seus padrões fisiológicos, desenvolvendo controle de algumas respostas básicas e voluntárias do nosso organismo. Exemplos de técnicas somáticas: técnicas de relaxamento e controle da respiração (relaxamento progressivo de Jacobsen), yoga (pranaiamas e alguns asanas) e biofeedback.

Técnicas Cognitivas

As técnicas cognitivas basicamente visam alterar o padrão de pensamentos presentes em um estado ansioso. Quando ficamos muito ansiosos é comum que pensamentos negativos surjam ou que foquemos em situações das quais sentimos medo e que podem estar presentes no dia do pedal. Uma técnica muito útil para contornar esses pensamentos é a técnica do PARE e de autoinstruções que já citei em um artigo anterior da revista. Pensar nas situações como desafio. Por exemplo, se em uma situação você costuma pensar: “amanhã vai chover, isso vai tornar o pedal impraticável”, deve tentar dar um novo significado a esse pensamento como “eu não gosto de chuva no pedal, mas vou aproveitar a oportunidade para aprender a pedalar nessas condições”.

Existem “n” possibilidades de se avaliar uma mesma situação e não apenas uma, então, treinemos buscar alternativas mais positivas. Quanto mais tentarmos fazer isso, melhor nos tornaremos nessa tarefa. O que eu quero dizer é que quanto mais praticarmos uma forma de pensamento, melhores ficamos nela, mais a aprimoramos. Isso é valido para o estado ansioso, quanto mais ficamos nele mais o desenvolvemos. A boa notícia é que quanto mais ficarmos em um estado agradável, maior é a tendência de conseguir mantê-lo.

Nós podemos sentir a ansiedade, mas não podemos nos tornar ela, precisamos aprender habilidades para gerenciá-la.

Exercícios aeróbicos são excelentes para reduzir a ansiedade geral. Então, bora pedalar galera!

Fonte: RevistaBicicleta

A bike de Sagan para 2017

Desde 2015, quando mudou-se para a Tinkoff, Peter Sagan utiliza bikes da Specialized. De fato, a parceria deu tão certo que o fabricante teve papel fundamental na transferência do ciclista para a Bora-Hansgrohe.


Por isso, não foi de se estranhar as fotos que o atleta postou em sua conta do Twitter, revelando sua bike para a próxima temporada. Uma Venge ViAS


A bike é equipada com grupo Shimano Dura-Ace Di2, rodas Roval CLX60 com pneus Specialized Turbo e garrafinhas da Tacx.


A próxima temporada começa no dia 14 de Janeiro para o bi-campeão mundial. Neste dia, ele larga no Santos Tour Down Under, na Austrália.

Fonte: Pedal

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Percurso do Tour de France 2017 é apresentado em Paris

Apresentação do Tour de France 2017 no Palais des Congrès, em Paris
O percurso do Tour de France de 2017 foi apresentado nesta terça-feira (18 de outubro) para 4 mil convidados no Palais des Congrès, em Paris. Com as montanhas de La Planche des Belles Filles, Peyragudes e Izoard e duas etapas de contrarrelógio, no primeiro dia (13 km) e na penúltima etapa (23 km), a competição abre espaço para a “ousadia”, nas palavras do diretor Christian Prudhomme.

Mapa do percurso do Tour 2017, que começa na Alemanha
O Tour 2017 começará na Alemanha, em Dusseldorf, e vai passar pela Bélgica e Luxemburgo durante o percurso de 3.516 quilômetros. As cinco regiões montanhosas da França (Vosges, Jura, Pyrenees, Maciço Central e Alpes) foram incluídas no roteiro, o que não ocorria há 25 anos.

A disputa começa nas ruas de Dusseldorf no dia 1º de julho e as apostas em torno da performance do alemão Tony Martin, que acaba de recuperar o título de campeão mundial de contrarrelógio, já estão altas. No dia seguinte, o pelotão vai até Liege, na Bélgica, uma das mecas do ciclismo. A etapa rainha será nas montanhas de Jura, entre Nantua e Chambéry, com o Col de la Biche, Grand Colombier e Mont du Chat, em 4.600 metros de subida acumulada. Mas o clímax será no Col d’Izoard, na 18ª etapa.

Cartaz escolhido entre 298 trabalhos

Cartaz
Além do percurso, a organização do Tour de France apresentou o cartaz da edição de 2017, resultado de um concurso. O escolhido foi o trabalho de Alexis Boulivet, um estudante de arte de 20 anos, que faturou o prêmio de 5 mil euros (cerca de R$ 20 mil) e um dia VIP em uma das etapas. No total, foram recebidos 298 trabalhos, de artistas de 19 países.

AS ETAPAS

Etapa 1
Sábado, 1 de julho: Dusseldorf – Dusseldorf (ITT), a 13 km

Etapa 2
Domingo 2 de julho: Dusseldorf – Liege, 202 km

Etapa 3
Segunda-feira, 3 de julho: Verviers – Longwy, 202 km

Etapa 4
Terça-feira, 4 de julho: Mondorf-Les-Bains – Vittel, 203 km

Etapa 5
Quarta-feira, 5 de julho: Vittel – Planche des Belles Filles, 160 km

Etapa 6
Quinta-feira, 6 de julho: Vesoul – Troyes, 216 km

Etapa 7
Sexta-feira, 7 de julho: Troyes – Nuit-Saint-Georges, 214 km

Etapa 8
Sábado, 8 de julho: Dole – Station des Tousses, 187 km

Etapa 9
Domingo, 9 de julho: Nantua – Chambery, 181 km

Descanso
Segunda-feira, 10 de julho

Etapa 10
Terça-feira, 11 de julho: Perigueux – Bergerac, 178 km

Etapa 11
Quarta-feira, 12 de julho: Eymet – Pau, 202 km

Etapa 12
Quinta-feira, 13 de julho: Pau – Peyragudes, 214 km

Etapa 13
Sexta-feira, 14 de julho: Saint-Girons – Foix, 100 km

Etapa 14
Sábado, 15 de julho: Blagnac – Rodez, 181 km

Etapa 15
Domingo, 16 de julho: Laissac-Severac L’Eglise – Le Puy-en-Velay

Descanso
Segunda-feira, 17 de julho

Etapa 16
Terça-feira, 18 de julho: Le Puy-en-Velay – Romans-sur-Isere, 165 km

Etapa 17
Quarta-feira, 19 de julho: La Mure – Serre-Chevalier, 183 km

Etapa 18
Quinta-feira, 20 de julho: Briançon – Izoard, 178 km

Etapa 19
Sexta-feira, 21 de julho: Embrun – Salon-de-Provence, 220 km

Etapa 20
Sábado, 22 de julho: Marseille – Marseille (ITT), 23 km

Etapa 21
Domingo, 23 de julho: Montgeron – Paris Champs Elysees, 105 km

CONFIRA VÍDEO

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

E o prêmio de melhor ciclista do ano vai para… Peter Sagan!!

Sagan na conquista do título mundial em Doha
E o ciclista do ano é… Peter Sagan. O eslovaco, que conquistou em 2016 seu segundo título mundial, foi eleito o melhor da temporada e faturou o Vélo d’Or, prêmio da revista francesa Vélo, pela primeira vez. O bicampeão mundial superou Chris Froome no mais importante prêmio do ciclismo mundial, onde votam jornalistas de vários países. No ano passado, Sagan havia ficado em segundo lugar.

Nesta temporada, Sagan conquistou 86 votos, contra 70 do líder da Sky. O colombiano Nairo Quintana (Movistar), vencedor da Volta a Espanha e segundo no Tour de France, foi o terceiro, com 43 votos.

Romain Bardet (Ag2R) foi eleito o melhor ciclista francês da temporada, à frente de Arnaud Démare (FDJ) e Julian Alaphilippe (Etixx-QuickStep).

Entre os recentes vencedores do Velo d’Or estão Froome  (2013, 2015), Bradley Wiggins (2012), Alberto Contador (2007, 2008, 2009, 2014), Fabian Cancellara (2010) e Philippe Gilbert (2011). O prêmio foi criado em 1992 e Miguel Indurain foi o primeiro a receber a honraria.

Melhores momentos de Sagan em 2016


Fonte: BikeMagazine

Pedalando no corrimão de uma barragem a 200 m de altura

Para participar de um Concurso Mundial da GoPro, o piloto austríaco Fabio Wibmer pedala no corrimão de uma das maiores barragens da Europa, a Koelbreinsperre, na Áustria, a 200 m de altura!

Veja este vídeo insano:

Saiba como controlar o colesterol de maneira eficiente

Cerca de 40% dos brasileiros sofre com o colesterol alto, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Confira como controlar o colesterol de maneira simples e eficiente.


Cerca de 40% dos brasileiros sofre com o colesterol alto, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Além disso, as doenças decorrentes desse problema são a principal causa de mortes no mundo. Quando o colesterol está descontrolado, se deposita nas artérias, formando placas de gordura nessas estruturas e endurecendo os vasos em um processo chamado aterosclerose.

O acúmulo de gordura também obstrui as artérias e vasos, levando ao aumento da pressão arterial, o que pode levar a derrames e afetar o funcionamento do coração. Como podemos ver, as consequências do colesterol alto são sérias, mas é preciso entender melhor o problema. Primeiramente, deve-se saber a alimentação tem influência na produção desta substância, mas 70% a 80% do colesterol é produzido naturalmente pelo nosso corpo.

Existem dois tipos de colesterol, o HDL (de alta densidade) e o LDL (de baixa densidade). O colesterol HDL é bom e provém de gorduras boas (como azeite de oliva, abacate e sementes oleaginosas) e sua função é retirar o excesso de LDL dos tecidos e levá-los ao fígado, evitando que ele se acumule nas paredes das artérias. Já a função do LDL é levar a gordura do fígado para os tecidos.

Cuidado com a alimentação

Apesar da produção natural, é necessário evitar o consumo de alimentos com grandes doses de colesterol. Os alimentos com gorduras saturadas (carnes, ovos, leite e derivados) devem ser consumidos com moderação e com respeito às quantidades adequadas.

Embutidos como salame, mortadela e presunto também são ricos em colesterol. Os peixes e cortes magros de frango, sem pele, são bons substitutos, já que não tem tanta gordura. Uma boa dica é substituir as versões mais gordurosas dos alimentos por suas versões mais saudáveis, como por exemplo, trocar os queijos amarelos por queijo branco.

Consuma mais ômega 3

O ômega 3 é um ácido graxo que possui propriedades anti-inflamatórias, antitrombóticas e antirreumáticas, que atuam reduzindo a concentração dos lipídeos do sangue, favorecendo a vasodilatação. Além disso, é capaz de evitar a formação das placas de gordura na parede das artérias e garantir a flexibilidade dos vasos sanguíneos, afastando o risco de doenças como infarto, hipertensão, aterosclerose e derrames. O ômega 3 modificam a composição química do sangue, provocando o aumento dos níveis do HDL (colesterol bom) e a diminuição dos níveis de LDL (colesterol ruim).

Pratique exercícios

As atividades físicas aumentam a queima de gordura corporal, reduzem o colesterol ruim (LDL) e aumentam o colesterol bom (HDL), principalmente se forem aeróbicas, como: pedalar, caminhada e corrida. Os exercícios têm potencial anti-inflamatório e impedem que as moléculas do colesterol bom sofram oxidação.

Fonte: Dino

domingo, 25 de dezembro de 2016

Pedal Ciclo Mania: Confraternização dos Bikes de Santa Cruz

O GRANDE ENCONTRO

Encontro de amigos que amam pedalar.
Aconteceu na tarde deste sábado o grande encontro dos ciclistas de Santa Cruz e Região.

Foram mais de cinquenta bikers que se fizeram presente no Bar da Pedra para se confraternizarem e se despedirem com chave de ouro de 2016.

Depois de um ano com muitas competições, tensão, sofrimento e disputas acirradas, desta vez o suor foi derramado com alegria e amizade, onde todos participaram num clima descontraído e amigável.

  

Saindo de São Domingos e pegando a estrada
 

 

 

 

  

 

  

 

 

Imprevistos sempre acontecem no caminho,
mas sempre estaremos dispostos a ajudar no que for preciso 

 

 

Imagens de nossa região sofrida

  

 

  

 

Chegando ao Logradouro, pegamos o estradão com vento forte rumo ao Bar da Pedra

 

 

Chegando ao bar da pedra, as boas conversas e a interação dos bikes era presente, quando mais de cinqüentas amigos
Ciclistas se encontram para se confraternizarem

 

  

Marcando presença com nosso amigo Suel, (Pipo)

 

  

 

   
Parte da turma que se fez presente
  

 

Apesar do suor e do cansaço, sempre vale a pena está junto.

 

 

 

Eu e Jânio, que também é um incentivador do ciclismo com sua turma
ONDE É O PEDAL?
 

 

Esta imagem mostra a amizade que há entre os ciclistas
Muitos momentos bons vividos entre amigos que durante todo o ano sorriram, sofreram, subiram e desceram nos tantas trilhas realizadas. Passamos por asfaltos apenas para soltar a musculatura num breve pedal, esticamos o treino subindo mais de mil  metros e jurando nunca mais voltar ali, a exemplos dos pedais "leves" passando por Lagoa de Farias e cortando para o Silva, onde era apenas o começo da subida, pois ainda teria o Cume ou Corrente Grande.

Muitos destes pedais serviam para tirar o estresse do dia dia ou tentar esquecer algum problema que estávamos passando naquele momento. E não é que dava certo.

Pneu furou? Siiim! E não foram poucas as vezes que paramos o pedal, esfriamos e até reclamamos quando isso acontecia. Mas isso é apenas uma forma de unir e aproximar os amantes do esporte, pois são nessas horas que percebemos que estamos sempre sujeitos a precisar do próximo e principalmente, que o próximo precisa de nós. Seja que circunstância for.

Quantas vezes você passou por isso?
Depois de tanta alegria, o bom é voltar pra casa certos de que valeu a pena e que tudo deu certo.

  


 

Parou!! Olha a porteira!
Parar é preciso, principalmente quando alguns dos amigos se perdem no caminho.

 

Lula, cadê você?!?! Achamos o Lula, será que foi ele que nos achou? enfim, vamos em frente.

 

 

Sempre encontramos aquela figura que nos chamam atenção e que merece ser registrada através da imagem.

Já em casa, o agradecimento a Deus por nenhum imprevisto mais sério e com certeza, mais amizades conquistadas e as velhas, ainda mais firmes.



Simples assim, basta você se dispor e priorizar o que de fato te faz bem.

Para muitos parece um sacrifício, porém, não passa de uma forma diferente de fazer o bem a si mesmo e as pessoas que estão ao nosso redor, pois este esporte além de fazer bem ao corpo, faz muito mais bem a alma.

Experimente.

Um ótimo Natal a todos vocês e que em 2017 possamos reviver tantos momentos, quanto os que vivemos até aqui.