Subscribe:

Parceiros

.


terça-feira, 26 de dezembro de 2017

Relive lançado no Brasil

Você quer reviver suas aventuras ao ar livre e compartilhar essa experiência? Graças ao Relive, um novo e gratuito aplicativo, suas pedaladas, corridas e trilhas agora podem ser compartilhadas em 3D, com um vídeo mostrando sua rota, destaques de desempenho, fotos e companheiros de treino.

Foto: Divulgação
O Relive é lançado oficialmente no Brasil, o primeiro país a ter a sua própria versão traduzida do app.

“Muitos dos melhores vídeos e usuários mais empolgados vem do Brasil. É incrível ver uma comunidade de esportes ao ar livre compartilhando suas aventuras ao redor de todo o país. Foi por isso que começamos a trabalhar em uma versão completamente brasileira do Relive”; diz Joris van Kruijssen, cofounder of Relive.


“Para celebrar o lançamento, os usuários estão compartilhando seus melhores vídeos do Relive gerados no Brasil com a #ReliveBrasil no Instagram, Facebook e Strava. Os vídeos mais impressionantes serão compartilhados com o mundo e recompensados com uma assinatura gratuita do Relive Club.”


A ideia do Relive nasceu de três amigos holandeses em uma viagem de bicicleta. Como muitos ciclistas, eles amam explorar o mundo em suas bicicletas e gostariam de capturar essas memórias e compartilhar as histórias vividas na estrada. Agora, a comunidade cresceu para bem mais de 1 milhão de entusiastas dos esportes ao ar livre ao redor do mundo.

“Com o Relive, você revive as suas viagens e permite que seus amigos e familiares também façam parte dessa experiência. Todos podem ver o que você alcançou ao longo da sua pedalada, corrida ou trilha; seja subir grandes elevações, percorrer grandes distâncias ou testemunhar vistas incríveis.”

Você pode baixar o aplicativo Relive para iOS ou Android. Não há necessidade de mudar seu aplicativo de monitoramento esportivo habitual. O Relive conecta com seu Strava, Garmin, Endomondo ou Polar.

Siga o Relive:
Facebook - Instagram - Twitter - Strava

Por RAPHAEL PAIS

Dicas para manter a forma mesmo nas férias sem deixar de lado o lazer e a diversão

Curtir a viagem sem abrir mão da rotina saudável dos exercícios físicos é mais fácil do que parece

Foto: ShutterStock_114973900
Permanecer em forma nas férias dá a impressão de ser uma missão impossível. Afinal, com todas aquelas comidas deliciosas e opções de bebidas ao nosso redor, como resistir? Por outro lado, ficar trancafiado em uma academia de hotel por horas e horas não é uma ideia interessante.

O resultado de abrir mais a boca e diminuir o ritmo das atividades físicas já se tornou um velho conhecido: surgimento de indesejáveis quilinhos extras que nos acompanham desde o início do ano.

A dra. Karina Hatano, médica do exercício e do esporte, explica que, embora seja fundamental relaxar o corpo e a mente, isso não significa ficar o tempo todo deitado na rede. “Manter-se ativo ajuda a conservar a forma e aproveitar ainda mais a viagem, além de representar um excelente auxílio para quem padece de intestino preso quando está fora de casa”, comenta ela. A especialista, dá algumas preciosas dicas para ficar saudável e ao mesmo tempo se divertir:

Nadar - Exercício perfeito, principalmente se você está em uma região quente.

Caminhar – dispense o aluguel de carro e faça turismo a pé, o melhor jeito de conhecer a cidade, ver as principais atrações e não abrir do estilo saudável, sobretudo se você estiver em um lugar bonito e em boa companhia.

Pedalar - Alugar uma bicicleta é um ótimo modo de explorar o local em que se está visitando. Seja nas ruas da cidade ou em parques e campo. A maneira certeira de perder uns quilinhos.

Surfar - Se está na praia, agende umas aulas de surfe. Uma atividade divertida para toda a família.

Tênis - Diversos hotéis possuem quadras de tênis, então vale a pena reservar o espaço para garantir uma partidinha.

Yoga - Inclua o tapete de yoga na mala. Ideal se não há muito espaço para outros aparelhos e quando está quente demais do lado de fora para outro tipo de atividade.

Outra possibilidade é fazer um exercício rápido no quarto de hotel, todas as manhãs. “Agachamentos e flexões por cerca de 20 minutos são uma ótima pedida como também uma corrida a cada dois ou três dias para, inclusive, desfrutar melhor da paisagem”, acrescenta Karina.

A doutora ainda reforça a importância de aumentar o consumo de água (três a quatro litros por dia). À noite, aconselha evitar as sobremesas: “caso seja inviável abdicar do docinho, tome um sorvete mais cedo, ainda durante o dia, de preferência após o almoço”. É que o açúcar ingerido nesse caso se mistura com outros nutrientes, como fibras da salada, proteínas e gordura da carne além de evitar picos de insulina no sangue.

“Por outro lado, quando ingerimos doces em um horário que compreende o jantar e a hora de dormir as calorias tendem a ser armazenadas no corpo como gordura em vez de queimadas como energia”, finaliza a médica.

Sobre a Dra. Karina Hatano
Karina Hatano é médica do exercício e do esporte, mestre em Medicina Esportiva pela Universidade Federal de São Paulo, onde também realizou a Residência Médica em Medicina do Esporte, além de acumular especialização em fisiologia do exercício e nutrologia. Preceptora da Medicina Esportiva da Universidade Federal de São Paulo e professora da Liga de medicina esportiva da UNIFESP, também é responsável pela saúde de atletas de alta performance de diversas modalidades esportivas, como da seleção brasileira de natação e das confederações brasileiras de beisebol e softbol.

Fonte: RevistaBicicleta por - Karina Hatano

quinta-feira, 21 de dezembro de 2017

Manutenção preventiva: o que checar na bicicleta antes do pedal

Foto: Divulgação
Quem usa a bicicleta como meio de transporte ou apenas por lazer aos finais de semana não se preocupa muito com a manutenção preventiva dos componentes da bike. Pois saiba que não é preciso ser um mecânico profissional para cuidar corretamente da sua magrela – e, de quebra, diminuir consideravelmente as chances de ter problemas no pedal e aumentar a vida útil da bicicleta.

Para dar algumas dicas pra você, convidamos Júlio César Doná, que é auxiliar aqui da Escola Park Tool. Primeiro de tudo, ele listou 6 pontos importantes que devem ser checados antes do pedal. São eles:

1- limpeza da bicicleta
2- medição e lubrificação da corrente
3- verificação e correção da pressão dos pneus
4- verificação de cortes ou avarias nos pneus
5- observação de barulhos estranhos e diferentes do normal
6- verificação e correção dos sistemas de freios, especialmente as pastilhas e sapatas

Para fazer esta manutenção preventiva, ter conhecimento sobre os componentes da bicicleta é muito importante. Se você não tem muita experiência, talvez um curso básico de mecânica pode te ajudar – dê uma olhada neste link que tem informações importantes para você.


Equipamentos
Para uma boa limpeza da sua bicicleta, é importante ter alguns itens em casa. De acordo com Júlio César, luvas de borracha, óculos de proteção, balde, sabão neutro e um desengraxante apropriado são importantes. E não se esqueça: NUNCA use desengraxantes à base de derivados de petróleo.

Na limpeza, que é parte importantíssima da manutenção preventiva da bicicleta, também é aconselhável utilizar uma escova dura e apropriada para a corrente e o cassete. Para o quadro, o ideal é usar uma escova macia.

Dica bônus do especialista: na lubrificação da corrente, use SEMPRE lubrificantes próprios para bicicleta. Nem pense em querosene ou óleo não apropriado.

Estes são os conselhos do especialista para manter o equipamento em ordem e funcional com uma ótima manutenção preventiva.

Fonte: Escola Park Tool

Nutricionista dá dicas para não exagerar nas férias de fim de ano - Moderação é a principal receita.

A nutricionista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Cintya Bassi,  dá algumas dicas para começar 2017 mais saudável.

Foto: Depositphotos
De acordo com a nutricionista, as comidas mais calóricas estão liberadas, porém deve haver um equilíbrio. “É um dia de festa e não uma alimentação cotidiana. Por isso, pode, sim, comer algo mais calórico. Contudo, é necessário moderar nas porções e mesclar com alimentos saudáveis, como frutas, sucos naturais e saladas, além de cuidar da hidratação. O ideal é que a dieta seja equilibrada durante o ano todo, assim não será um dia comendo um pouco mais que trará consequências ruins ao organismo”, explica. Ela aconselha experimentar pequenas porções dos pratos que mais gosta e priorizar o preparo dos alimentos com produtos frescos e naturais ao invés de industrializados. Outro ponto importante é se alimentar ao longo do dia para evitar a falta de controle à noite nas ceias.

Entretanto, nem todas as comidas típicas dessa época do ano não são consideradas saudáveis. “As frutas oleaginosas, como castanhas, nozes, amêndoas e pistache são ótimas fontes de nutrientes. Além delas, as frutas secas e desidratadas também são nutritivas. Quanto às carnes, prefira magras, como lombo, peru, frango e peixes. O arroz, se possível, substitua o comum pelo integral”, recomenda Cintya.

Quanto às bebidas, a nutricionista alerta para evitar ou consumir com moderação refrigerantes e bebidas alcoólicas, pois possuem alto valor calórico e nenhum benefício nutricional, excetuando o vinho. “Sempre que possível substitua essas bebidas por água de coco, água aromatizada ou sucos naturais. Duas boas opções para hidratar, refrescar e auxiliar na digestão são o suco de melancia com gengibre e o de abacaxi com hortelã”.

Já os doces certamente são os mais difíceis de resistir. Por isso, o conselho é optar por aquele preferido, mesmo assim de maneira moderada. Caso vá preparar os doces do fim de ano, procure cozinhar os menos calóricos, como a rabanada assada ao invés da frita e o chocolate com maior concentração de cacau.

Agora com essas dicas é só aproveitar as férias.

Receita Pavê Light de Morango e Chocolate
Ingredientes:


2 pacotes de biscoito de chocolate sem recheio, integral
2 colheres de margarina light
1 lata de creme de leite light
1 lata de leite condensado light
200 g de chocolate branco diet
300 ml de leite desnatado
2 colheres (sopa) de amido de milho
50 g de açúcar light
2 xícaras de morangos lavados e picados

Preparo: Triture o biscoito, misture com a margarina derretida e com a massa forre um refratário. Leve ao forno médio por aproximadamente 5 minutos. Após, prepare o creme branco, misturando primeiramente o creme de leite e o leite condensado em fogo baixo, depois acrescente o amido de milho dissolvido no leite ainda frio. Mexa até engrossar. Em outra panela, derreta o chocolate em banho maria e acrescente ao creme branco ainda quente. Por último, coloque o açúcar e mexa até homogeneizar.

Jogue o creme branco sobre a massa de biscoitos e, quando estiver frio, jogue os morangos por cima. Leve à geladeira.

Bora pedalar

Fonte: Máquina Cohn & Wolfe

Chris Froome nega uso intencional de doping e se diz inocente

Atleta declarou que provará sua inocência no decorrer de processo
Chris Froome
Foto: Getty Images
O ciclista britânico Chris Froome, quatro vezes campeão da Volta da França, declarou na quinta-feira (14/12/2017) em entrevista coletiva não ter feito intencionalmente o uso de doping e afirmou que acredita que o processo o inocentará.

"Sei que dentro de mim fundamentalmente eu segui o protocolo e eu acredito não ter ultrapassado nenhum limite. Espero que até o final deste processo, que será claro para todos, eu serei exonerado de qualquer transgressão", afirmou.

A União Ciclística Internacional (UCI) anunciou oficialmente na quarta-feira (13/12/2017) que Froome foi reprovado em exame antidoping realizado em setembro durante a Volta da Espanha. No entanto, optou por não puni-lo preventivamente. A entidade pediu apenas que o atleta forneça mais informações após teste realizado durante a competição apontar o uso, em alta quantidade, de uma substância que está em um medicamento normalmente prescrito para combater a asma.

As declarações de Froome foram feitas em coletiva promovida pela sua equipe, a Sky, que também confirmou o resultado positivo do exame. As amostras de urina revelaram concentração de salbutamol de 2.000 nanogramas, o dobro do que é permitido pela UCI.

"Fui testado durante todos os dia durante a corrida, porque sempre estive na liderança. Sabia que teria que fazer os testes", afirmou. "Nós também temos todos os detalhes do meu dia a dia dentro da equipe: o que eu comi todos os dias, quantas vezes parei para fazer xixi. O detalhe que podemos fornecer é vasto", prosseguiu.

RIVAL INDIGNADO - O ciclista alemão Tony Martin se mostrou indignado com a postura da UCI, que optou por não suspender Froome e dar tempo para ele se explicar.

"Estou muito bravo", postou no Facebook. "Outros atletas são suspensos imediatamente depois de testar positivo. Ele e sua equipe estão tendo tempo para se explicar. Não tenho notícia de algum caso similar a esse. Isso é um escândalo e ele não poderia ser autorizado a disputar qualquer campeonato mundial. Será que ele e a equipe dele têm uma posição especial?", emendou.

A UCI não se pronunciou sobre essas acusações. Em comunicado oficial, a Sky informou que Froome precisou de uma dose a mais da medicação por ter tido uma crise asmática, mas que a dose não havia sido dada além do permitido pela entidade.

Fonte: R7

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Saiba tudo sobre alongamento muscular!

Antes ou depois das atividades físicas? Pode ser feito por todos? Fisioterapeuta Bernardo Sampaio tira as principais dúvidas sobre o tema.
http://www.girobike.com.br
Foto: Divulgação
 Ao praticar atividades físicas, sempre se ouve falar sobre a necessidade de “alongar” antes da realização dos exercícios de maior impacto, mas será que todos sabem o porquê e a importância dessas “preliminares”?

O alongamento se dá pelo estiramento dos tecidos do corpo, afastando o músculo de um ponto ao outro, com o objetivo de dar mais agilidade, aumentar a amplitude do movimento muscular e da elasticidade.

Isso acontece, pois fisiologicamente o alongamento baseia-se num efeito neurofisiológico que envolve o reflexo de estiramento. O efeito final é o relaxamento do músculo e a melhora da flexibilidade do mesmo.

Entretanto, a importância do alongamento ainda é um tema amplamente discutido, pois as evidências científicas são controvérsias em relação aos benefícios de prevenção e recuperação muscular por exemplo. Existem indícios que têm demonstrando efeito em curto prazo.


Quando se deve fazer o alongamento?
Antes ou depois de atividade física? Como muitos pontos em relação ao alongamento, a resposta ainda fica em cima do muro. O que sabemos até então é que estudos mostram que há uma redução na capacidade de força isométrica do músculo logo após alongamento intenso, predispondo a uma menor eficiência e reduzindo o desempenho na prática esportiva, principalmente em corridas.

Portanto alongamentos severos ou de alta intensidade que antecedem a prática esportiva não apresentam benefícios como forma de aquecimento.

Após a atividade física o alongamento provoca pequeno benefício nas dores musculares e na recuperação das mesmas. A recuperação pós atividade deve ser feita gradualmente com outras intervenções ativas ou passivas. Isto não nos diz que é contraindicado, mas sim não a única solução como acreditava-se. Por hora, após atividade física alongamentos leves podem sim trazer um leve benefício e conforto para a musculatura.

Principais benefícios
Em resumo, os benefícios do alongamento em indivíduos que não apresentam patologias, como as neurológicas, por exemplo, são melhora da mobilidade em longo prazo de acordo com um programa de exercícios e relaxamento muscular momentâneo.

Indicações
O alongamento é indicado para pessoas que apresentam encurtamento muscular e falta de flexibilidade. Ele pode ajudar no relaxamento destes músculos e consequentemente treiná-los a “aumentar a capacidade” de estiramento.

Contraindicações 
Estão contraindicados alguns alongamentos para pessoas que apresentam alguma condição dolorosa, como por exemplo, dor ciática. Em muitos casos o alongamento dos músculos posteriores das pernas pode agravar o caso. Nestes casos de condições específicas é sugerido diagnóstico orientação profissional para cada caso em específico.

Dicas de exercícios
Alguns alongamentos básicos podem ser realizados diariamente como:

  • Segurar a cabeça com uma das mãos e levemente puxá-la levando uma orelha em direção ao ombro;
  • De pé com o joelho dobrado segurar o pé com uma das mãos e tentar flexionar um pouco mais o joelho;
  • Deitado de barriga para cima, mantendo as pernas esticadas, trazer um joelho de cada vez em direção ao peito enquanto a outra perna se mantém esticada;
  • Ainda de pé pode-se fazer o alongamento da “batata da perna” apoiando a ponta dos pés em um degrau e deixando o calcanhar se mover para baixo.

Obs.: manter cada repetição por 30 segundos.

Bernardo Sampaio é o fisioterapeuta responsável pela Unidade de Guarulhos do ITC Vertebral e do Instituto Trata. É também diretor regional da Associação Brasileira de reabilitação de coluna – ABR Coluna. Graduado pela PUC- Campinas e com formação em osteopatia clínica pela Académie de Thérapie Manuelle Et Sportive (Belgica), o profissional também possui especialização em fisioterapia músculo esquelética, aprimoramento em membro superior e oncologia ortopédica pela Santa Casa de São Paulo.

Saiba mais em: www.institutotrata.com.br e www.itcvertebral.com.br

Fonte: Eu vou de bike

Peter Sagan e BORA - Hansgrohe concordaram em encerrar a disputa legal e a controvérsia sobre a desqualificação de Sagan de Tour de França deste ano.

Foto: Divulgação
Antes da audiência no Tribunal de Arbitragem para o Desporto (CAS) em Lausanne prevista para 5 de dezembro de 2017, a Union Cycliste Internationale (UCI), Peter Sagan e BORA - hansgrohe concordaram em encerrar a disputa legal e a controvérsia sobre a desqualificação de Sagan de Tour de França deste ano.

Peter Sagan foi desclassificado após um acidente no sprint no final da quarta etapa em Vittel.

Imediatamente após a desqualificação, Peter Sagan e BORA - hansgrohe apelaram da decisão do júri de corrida com o CAS e, para permitir que Peter Sagan termine o Tour, solicitou uma suspensão temporária da desqualificação. Como é sabido, este pedido foi negado pelo CAS; posteriormente, no entanto, todas as partes envolvidas tiveram a oportunidade de fornecer provas e chamar testemunhas. Em 5 de dezembro de 2017, o CAS estava programado para ouvir o assunto em Lausanne.

Tendo considerado os materiais apresentados no processo do CAS, incluindo imagens de vídeo que não estavam disponíveis no momento em que o júri de corrida havia desqualificado Peter Sagan, as partes concordaram que o acidente foi um acidente de corrida infeliz e não intencional e que os Comissários da UCI tomaram sua decisão com base no seu melhor julgamento nas circunstâncias. Nesta base, as partes concordaram em não continuar com os procedimentos legais e se concentrar nas medidas positivas que podem ser tomadas no futuro.

O novo residente P da UCI, David Lappartient , comentou sobre a posição da UCI da seguinte forma: "Estes procedimentos mostraram o quão importante e árduo é o trabalho dos Comissários da UCI. A partir da próxima temporada, a UCI pretende contratar um "Comissário de Apoio" para auxiliar o Painel dos Comissários com experiência em vídeo especial nos principais eventos do UCI World Tour ".

O campeão do mundo UCI Peter Sagan está satisfeito com este desenvolvimento: "O passado já foi esquecido. Trata-se de melhorar nosso esporte no futuro. Congratulo-me com o fato de que o que aconteceu comigo em Vittel mostrou que o trabalho dos Comissários da UCI é difícil e que a UCI reconheceu a necessidade de facilitar seu trabalho de forma mais efetiva. Estou feliz que o meu caso conduzirá a desenvolvimentos positivos, porque é importante para o nosso esporte tomar decisões justas e compreensíveis, mesmo que as emoções às vezes sejam aquecidas ".

BORA - O gerente da equipe de hansgrohe, Ralph Denk, acrescenta: "Sempre foi nosso objetivo deixar claro que Peter não causou a queda de Mark Cavendish. Esta foi a posição de Peter desde o primeiro dia. Ninguém quer que os pilotos caiam ou se machuquem, mas o incidente em Vittel foi um acidente de corrida, como pode acontecer no decurso de um sprint. Meu trabalho como gerente de equipe é proteger meus pilotos e patrocinadores. Eu acho que é isso que nós, como equipe, fizemos. Eu sou reforçado na minha opinião que nem Peter nem BORA - hansgrohe cometeram qualquer erro ".

Fonte: UCI

Que bike comprar?

O primeiro e grande equívoco é a compra em magazines e hipermercados.

Uma história triste, mas não rara, principalmente quando é relatada por profissionais do ramo e especialistas no varejo de bicicletas. O que ocorre nestes casos é a desinformação sobre a aquisição de uma bike. São erros clássicos a qual muitas das pessoas não habituadas ao mercado das bicicletas cometem.
Foto: © kasto / depositphotos
O primeiro e grande equívoco é a compra em magazines e hipermercados, estes estabelecimentos por natureza são meros revendedores, não tem expertise para auxiliar o comprador.

Á reboque deste erro vem a falta de qualidade. Justifico: Para o este tipo de revendedor o atrativo é o preço baixo e a qualidade fica á parte deste processo.

 Justamente neste ponto nascem as maiores frustrações do “ex-futuro ciclista”, uma compra por impulso, motivada por pesadas campanhas de marketing no ponto de venda e principalmente sem o auxílio mais técnico do vendedor ensejaram negativamente toda expectativa presente na compra.

O cliente passa a acreditar não ser capaz de pedalar com prazer qualquer bicicleta a partir daquela terrível experiência.

Uma loja especializada poderia ter feito a diferença.

O primeiro e grande equívoco é a compra em magazines e hipermercados.
Resumindo não há bicicleta certa. Há bicicleta correta para cada biotipo, estilo e para cada função a ser desempenhada pela magrela. Diversão? Transporte? Mobilidade? Esporte? Que esporte?

© kasto / depositphotos
O cliente passa a acreditar não ser capaz de pedalar com prazer qualquer bicicleta a partir daquela terrível experiência.

Também não são meros detalhes a idade, altura do ciclista, comprimento de membros superiores e inferiores e, portanto ajustes da bike ou bike fit para os mais habituados ao pedal não podem ser ignorados.

Grosseiramente comparando, ninguém compra uma Ferrari para trabalhar na fazenda em estradas de terra e tão pouco uma caminhonete utilitária para fazer bonito em encontros de carros esportivos.

Procure uma loja especializada, com vendedores que também pedalam e gostam do que fazem. Fica a dica.

Fonte: Revista Bicicleta por Érico Pereira Corrêa

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Como limpar sua MTB

Confira 10 passos para deixar sua bike novinha para o próximo pedal
Foto: Jochen Haar
Se acha que a limpeza’da sua bicicleta não é muito importante, pense de novo. Existem vários detalhes que deve pensar antes de deixar a sua bicicleta suja depois de um treino, basta ouvir o que o Yanick-O-Mecânico tem para nos dizer. Vejam como o mecânico chefe da’SCOTT-Sram trata da bicicleta do campeão Olímpico’, a SCOTT Spark RC 900 World Cup.

Passo 1 - Preparar a zona de lavagem

Primeiro, é muito importante encontrar uma zona adequada para limpar a bicicleta. De preferência um local com boa drenagem. Funciona melhor o uso de um stand fixo de forma a ter a bicicleta elevada. Desta forma, a sujidade nunca irá cair novamente sobre a bicicleta. Idealmente, a área de lavagem deve estar protegida do vento e da chuva. Tente garantir que tem luz suficiente para poder trabalhar. Se pensa que precisa de um jato de água, não é necessário. O uso frequente de jato de água não só empurra sujidade para dentro dos rolamentos ou retentores da suspensão como retira tempo de vida a esses componentes.

Passo 2 - Prepare o seu equipamento

Monte o seu stand ou suporte. Idealmente, um que possa girar 360º é mais cómodo porque permite girar a bicicleta enquanto a limpa. Vai precisar de um balde, de preferência um balde que permita ver os resíduos de sujidade ou óleo. Vai também precisar de duas escovas, uma mais macia e outra mais firme, e ainda uma mangueira com água fria e alguns produtos de limpeza. Se não for possível arranjar produtos específicos, um produto de limpeza como sabão líquido serve. Evite a todo o custo produtos automóveis pois são muito agressivos e contêm óleo que contaminam os discos.

Passo 3 - Enxaguar e lavar

Coloque a bicicleta no suporte e comece por enxaguar usando água fria, começando de cima para baixo, empurrando os detritos para baixo. Encha o balde com um pouco de água quente. Use a escova mais macia, e certifique-se que a escova está limpa para não riscar o quadro. Aplique o líquido de lavagem directamente na escova, usando também a água quente. Começando pela frente da bicicleta, lave com espuma de sabão todos os centímetros da bicicleta evitando passar duas vezes pelo mesmo local, para evitar sujar novamente.


Passo 4 - Pneus e transmissão

Usar uma escova mais firme e água quente, aplicar directamente líquido de limpeza e escovar de forma a retirar toda a sujidade de entre os tacos do pneu e das laterais, sem esquecer os aros. Inspecionar os pneus cuidadosamente para detectar cortes, tacos arrancados ou mesmo objectos perfurantes. Se reparar na existência de muitas bolhas num local aquando da passagem do líquido, pode haver um futuro nesse local. Passe agora para a transmissão e cassete. Retire todos os detritos que possam estar entre os carretos ou roldanas, use depois um escova mais firme para limpar mais a fundo. Dica: Não use desengordurante nesta fase, se a cassete estiver suja e o sabão não for suficiente para remover a sujidade, então será melhor retirar a cassete e limpá-la aparte. Nesse caso sim, deve usar desengordurante, visto que reduz o risco de contaminação da transmissão.

Passo 5 - Enxaguar e inspecionar

Enxaguar a bicicleta usando a mangueira e a escova macia, de cima para baixo, inspecionando a bicicleta para perceber se existe algum dano no quadro, rodas ou componentes. Rode também os pedais e as alavancas de forma a escorrer a água para que não fique na corrente. Se a corrente estiver menos esticada, a limpeza é mais profunda.

Passo 6 - Repetir

Dependendo da sujidade da bicicleta, o processo anterior pode necessitar de ser repetido até que a bicicleta esteja totalmente limpa. Retire as rodas se a bicicleta estiver muito suja. Preste especial atenção às roldanas e cremalheiras porque podem guardar mais sujidade. Este passo é importante porque a transmissão com sujidade causa mais atrito e desgasta-se com mais facilidade, o que também pode causar problemas mecânicos durante a prova. Não se esqueça de limpar bem os retentores da suspensão porque se tiverem pequenos detritos, podem causar danos dispendiosos. Recolocar rodas depois do passo completo.

Passo 7 - Enxaguar novamente

Enxaguar novamente para assegurar que nenhum produto de limpeza ficou por retirar. Este processo funciona melhor sem o jato de água porque este meio pode tirar massa dos rolamentos, cepo, caixa de direção, pivots, etc. Uma mangueira com água corrente e um balde junto com uma escova macia são mais do que suficientes.

Passo 8 - Secar a bicicleta

Retire a bicicleta do suporte. Deixe a bicicleta ao sol ou num local seco, de preferência mais quente de forma a que toda a água que ficou se evapore livremente. Use um pano macio ou mesmo toalha de papel para remover excessos de água. Se disponível, pode usar um compressor com cuidado. Depois inspecione, lave e prepare todos os elementos que foram usados na limpeza da bicicleta para futuras utilizações.

Passo 9 - Polimento

Retirar as rodas e recolocar a bicicleta no suporte. Polir o quadro usando um produto à base de silicone com uma toalha de microfibra, especialmente antevendo situações de competição em chuva ou lama. A sujidade terá mais dificuldade em agarrar ao quadro. Se estiver previsto ou estiver em locais com muito pó, então evite o polimento com silicone pois vai atrair muito pó e sujar a bicicleta. Aplique sempre o polimento com um pano macio e de microfibra e esfregue o quadro, nunca use directamente sobre o quadro pois pode afectar, por exemplo, as pastilhas de travão. Procure "bombar" a suspensão e o amortecedor para que os retentores fiquem limpos. Retire essa sujidade e lubrifique as pernas das suspensões com líquido lubrificante específico para suspensões.

Passo 10 - Arrumação

​Assim que a bicicleta estive seca, é vital lubrificar a corrente sempre eliminando os excessos com um pano. Procure também proteger os rolamentos com repelente de água para evitar que fiquem expostos a gotículas. Idealmente deve pendurar a sua bicicleta pela roda da frente, mantendo os manetes de travão acima dos pistões. Isto permite que o óleo das suspensões mantenha os retentores lubrificados para utilização eficaz imediata. Do mesmo modo, qualquer água que fique nos cabos ou nas reentrâncias dos quadros, escorra.

Assista o vídeo abaixo para entender melhor

Vídeo: Shaperideshoot / Gaëtan Rey

Fonte: SCOTT/Yanick Gyger & Nick Craig

Conheça o maior estacionamento de bikes do mundo

Foto: Divulgação
A cidade de Utrecht, na Holanda, terá o maior estacionamento de bicicletas do mundo, com capacidade para 12.500 magrelas.

O estacionamento foi inaugurado com 6.000 vagas para bikes e deve, até 2018, abrir espaço para mais 6.500. O local tem mais de 1.500 metros quadrados e fica embaixo da estação central de trem de Utrecht.

No total, a cidade holandesa é mais populada por bike do que por pessoas – são 22,5 milhões de magrelas contra 18 milhões de moradores. A cidade já investiu 110 milhões de euros (cerca de 415 milhões de reais) em estruturas cicloviárias de 2011 a 2014.

Se você acha que isso é o bastante, saiba que os holandeses não se contentam em ter apenas um estacionamento de destaque para quem pedala. Em breve, outra cidade, a The Hague, irá inaugurar um espaço para 8.500 bikes, enquanto a cidade de Delft já construiu uma estrutura com capacidade para 5.000 bicicletas.

De acordo com o jornal The Guardian, um holandês pedala em média 1.000 km por ano. Mais de um quarto do país usa a bike para seus deslocamentos diários.

Atualmente, o maior estacionamento de bicicletas fica na estação de metrô de Kasai, em Tóquio, no Japão, com 9.500 vagas.

Fonte: Movimento Conviva

Você Sabia? Atividade física turbina o cérebro em qualquer fase da vida

Mexer o corpo fortalece tanto a massa muscular quanto a cinzenta. Foi o que uma análise de oito estudos com voluntários acima de 40 anos concluiu, onde pesquisadores da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá, entenderam que o fato de a pessoa não gastar o dia inteiro sentada já está associado a uma melhor performance em testes cognitivos (e a uma probabilidade reduzida de demência). Segundo a orientadora do levantamento, a neurocientista Teresa Liu-Ambrose, ações simples como de vez em quando levantar da cadeira para dar alguns passos e subir escadas fariam diferença nas nossas faculdades mentais. Outra conclusão dos estudos foi a de que tanto modalidades aeróbicas (caminhada, bicicleta...) quanto a musculação conferem destreza à cabeça, e que a combinação das duas traz melhores resultados.



Mas essas vantagens não são só para pessoas acima de 40 anos. Em 2003, a educadora física Hanna Karen Moreira Antunes, hoje coordenadora do Curso de Educação Física da Universidade Federal de São Paulo, avaliou o desempenho cognitivo de vários adolescentes.

“Os que se exercitavam bastante no ambiente escolar alcançavam as maiores pontuações”, lembra. Mais recentemente, Andrea Deslandes, profissional de educação física e coordenadora do Laboratório de Neurociência do Exercício da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, começou a verificar o impacto de aulas de capoeira na performance de crianças de 6 a 12 anos. De lá pra cá, ela e seus colegas de laboratório revelaram que o contato com essa arte marcial tipicamente brasileira contribuiu para notas mais altas na escola. “Os estudos mostram vantagens da infância à terceira idade“, assegura a expert carioca. Falando de aulas de ginástica, a neurologista da Universidade de São Paulo, Sônia Brucki, também atesta: “Elas fazem aumentar a quantidade de células nervosas no cérebro“. Além disso, essas unidades passam a receber um aporte sanguíneo extra e ganham ramificações para se comunicarem com eficácia. São mudanças que ajudam a explicar o fato de o sedentarismo ser o terceiro maior fator de risco passível de intervenção para demências, atrás apenas do nível educacional baixo e do tabagismo.



Também é importante salientar os benefícios comportamentais das modalidades esportivas. Disciplina, concentração, resiliência e trabalho em equipe estão entre os valores que auxiliam a sobrepujar desafios mentais. “Só não vale achar que uma corrida substitui a leitura”, brinca Hanna Karen. Não há recorde mundial que garanta, sem um bocado de estudo, uma cabeça realmente ativa.

Fonte: Revista Bicicleta

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Long Life Group - Vencendo desafio a cada prova.

Equipe Long Life Group
Santa Cruz do Capibaribe é um celeiro de atletas que sempre vem se destacando a nível estadual e nacional em vários tipos de esportes, a exemplo do Motocross com o saudoso Júlio Cézar que abriu a porta para uma gama de bons pilotos, temos no MTB vários nomes de ponta que seguem os passos do inesquecível Beto Leão, que trouxe tantas vitórias para nossa cidade, e deixou um legado onde hoje, são muitos os atletas que se destacam neste esporte, nas competições por onde passam. Temos atletas no Judô, Bicicross e inúmeros esportes. No Atletismo, por exemplo, não é de hoje que vemos nossa cidade sendo destaques em corridas de alto nível com boas colocações.

Pra falar dos atletismos especificamente, poderíamos destacar dois tipos de provas, como a prova velocidade que requer força e explosão, e também de resistência, que são aquelas provas onde o atleta tem que está muito bem preparado para superar seus limites, vencendo as dezenas e até centenas de quilômetros a serem percorridos.

E por falar  neste tipo de prova, destacamos um grupo de atletas aqui de  Santa Cruz que está se especializando em longas distâncias e que neste final de semana irão participar da ‘Ultramaratona da Serra’.  Competição realizada no próximo sábado (25/11) e que terá um total de 100km a serem percorridos entre as cidade de João Pessoa e Campina Grande, na Paraíba.

Serão várias categorias em que eles irão participar a exemplo da solo, dupla, quinteto e decateto (masculino e feminino), com a participação de atletas de todas as regiões do Brasil, sobretudo do Norte e Nordeste.

Os LLG, como são conhecidos, sendo a abreviatura de ‘Long Life Group" viajam na sexta-feira para concentração na capital paraibana e iniciam a competição na manhã do dia seguinte.

Este grupo é formado por amigos santa-cruzenses apaixonados pelo esportes e que a cada dia se superam nos treinamentos onde ficam no anonimato lutando em busca do seu máximo, para que nas provas possam colher os melhores resultados..


Se você se interessou pela matéria e quer fazer parte do grupo, fiquem a vontade, pois o grupo é aberto a todos que queiram praticar o esporte no município.

E se acha uma loucura, alguém correr 100km, tente completar o seu primeiro quilômetro, ai você verá que nada é impossível quando se tem foco e determinação, e depois dos primeiros 1000 metros, muitos outros virão.

Nós que fazemos o Ciclo Mania estaremos na torcida desejando a todos que façam uma boa prova.


 Mais informações, (81) 9.9644-6420.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Conheça os segredos dos cinco países com maior longevidade

O Ciclista francês Robert Marchand, de 105 anos -
Pedala uma hora, no velódromo de Saint-Quentin en Yvelines
Foto: © Thibault Camus
Para viver mais e melhor, é preciso se cuidar bem. Ter uma alimentação balanceada e praticar exercícios físicos são dois itens essenciais para qualquer idade, mas principalmente para os idosos.

Cada país, contudo, tem sua cultura e segredos próprios de vida longa. O portal BBC fez um levantamento mostrando os cinco países do mundo que têm os maiores índices de longevidade. Confira, abaixo, quais são os segredos de cada população.

País: Japão

Expectativa de vida: 83 anos
O segredo: Acredita-se que a dieta local, rica em tofu, batatas e uma pequena quantidade de peixes, seja responsável pela longevidade dos japoneses. Na região de Okinawa, a população vive ainda mais: lá vivem 400 pessoas com mais de 100 anos de idade e o local é, por isso, bastante estudado. Outro fator atribuído à longevidade no Japão é a convivência nas comunidades locais, onde há círculos sociais de idosos.

País: Espanha

Expectativa de vida: 82,8 anos
O segredo: A dieta mediterrânea, seguida pelos espanhóis, é famosa como uma das mais saudáveis do mundo. Composta essencialmente de vegetais, azeite de oliva e um toque de vinho, é a principal contribuição para a vida longa da população. Outros segredos são a “siesta”, aquele cochilo tirado depois do almoço, e as caminhadas ou pedaladas, preferidas pelos espanhóis para a locomoção.

País: Cingapura

Expectativa de vida: 83,1 anos
O segredo: Se exercitar ao ar livre nos diversos parques públicos da cidade é hábito da maior parte dos moradores do país. Como muitos estudos comprovam, a prática de exercícios físicos é fator essencial para a longevidade.

País: Suíça

Expectativa de vida: 81 anos
O segredo: O queijo suíço é um dos mais famosos do mundo e é também um dos segredos da vida longa dos suíços, de acordo com alguns estudos. O país também oferece um sistema de saúde com alta qualidade, além de ser seguro – e, por isso, permitir que seus moradores se sintam bem.

País: Coreia do Sul

Expectativa de vida: 90 anos (estimada)
O segredo: Apesar de ainda não ter oficialmente chegado a uma longevidade tão excepcional, os coreanos caminham para isso. Sua alimentação, rica em fibras e em alimentos fermentados, é um dos segredos para a saúde no país. Um forte senso de comunidade e tradições também são fatores decisivos quando se fala em longevidade, além da qualidade de vida ser garantida por um bom sistema de saúde e pela economia em crescimento.

Fonte: Movimento Conviva

7 passos para aprender a andar de bicicleta

Se você nunca pedalou e tem esse desejo, essas dicas são para você.

Foto: iStock by Getty Images
Desde 2012, a grupo Bike Anjo, presente em várias cidades brasileiras, realiza oficinas gratuitas para quem quer aprender a andar de bicicleta. Os ciclistas ou “anjos” têm diversas dicas para os iniciantes e algumas deles você pode conferir abaixo. Se você nunca pedalou e tem esse desejo, essas dicas são para você.

Passo 1 – Escolha uma bicicleta confortável: busque uma bicicleta que dê para você encostar com os dois pés no chão. Duas formas de medir isso é ficando em pé no cano superior da bicicleta e ver se ela não pega no “cavalo” e colocando o cotovelo na frente do banco (também conhecido como selim) e a ponta da mão deve encostar na mesa, a peça que segura o guidão. Se não tem bicicleta, pegue emprestada temporariamente do vizinho, do parente ou mesmo vá para um local onde tenha empréstimo/aluguel de bicicleta.

Passo 2 – Encontre o espaço ideal: procure uma praça, parque ou mesmo rua que seja bem tranquila, com pouco fluxo de veículos, bicicletas ou pedestres. Procure um espaço bem largo para não se preocupar com curvas, obstáculos, entre outros. Ah, e seria ótimo se tivesse uma leve descidinha (nada muito exagerado!) para te dar um empurrãozinho na hora de ganhar velocidade.

Passo 3 – Antes de qualquer coisa, saiba como funciona o freio: mantenha sempre dois dedos no freio e não aperte com força. Pra quem for ensinar a pedalar, tente manter a pessoa relaxada (uma piadinha cai sempre bem nessas horas!

Passo 4 – Remada: coloque o selim baixo o suficiente para você conseguir colocar os dois pés no chão. Aí peça para ir “remando” com os pés, tentando mantê-los cada vez mais fora do chão, se equilibrando na bike. Uma meta boa é tentar com duas empurradas tirar os pés totalmente do chão e contar até cinco. Com isso você já aprendeu a se equilibrar!

Passo 5 –  Dando a arrancada: coloque o pedal em 45 graus pra frente (sugerindo sempre começar com o mesmo pé) e dê o impulso não só empurrando o pedal com o pé pra baixo, mas empurrando também com o corpo pra frente para ganhar velocidade.

Obs. 1: Caso esteja difícil, volte pro exercício anterior da remada e quando estiver com os pés no ar procure os pedais pra começar a pedalar.

Obs. 2: Se você está com dificuldade de manter o giro dos pedais, peça para alguém (um Bike Anjo/amigo ) ficar de frente pra você prendendo a roda dianteira e segurando o guidão e com a bicicleta parada você vai ficar girando o pedal para trás até relaxar as pernas e perceber um ritmo contínuo no giro dos pedais.

Obs. 3: Observe que é a cintura e as pernas que vão dar o suporte para se equilibrar, então pratique um pouco mexer a cintura e as pernas para perceber como altera o equilíbrio em cima da bicicleta.

Passo 6 – Ganhe velocidade: você ganha mais equilíbrio se conseguir mais velocidade (não precisa ser ultra rápido, mas o suficiente pra manter a bicicleta sempre em linha reta). Para quem for ensinar a pedalar, mostre ao iniciante que não precisa ficar com medo de ir mais rápido.

Passo 7 e o MAIS IMPORTANTE: não exagere na dose. Se cansou, dê uma pausa para uma água e alongue as pernas e braços. Você provavelmente vai sentir um pouquinho de dores no dia seguinte, mas é só continuar praticando que vai passar rapidinho. Ah, o bumbum também pode doer, mas também é só uma questão de costume.

O Bike Anjo participou da Semana Move, evento anual do Sesc que estimula as pessoas a se movimentarem. Para isso, uma semana inteira é dedicada aos mais diversos tipos de exercícios e atividades físicas – quem é mais sedentário tem a oportunidade de conhecer e escolher aquilo que lhe mais agrada para praticar.

Fonte: Ciclo Vivo

terça-feira, 14 de novembro de 2017

MTB 12 Horas 2017: "gringo" chega para conquistar o título

Ciclista estrangeiro Kelly Magelky da equipe MTB90 deseja fazer história no Brasil

Kelly Magelky: 7 vitórias em provas de 100 milhas (160Km)
Foto: Divulgação
A 21ª edição do MTB 12 Horas, que será realizada no dia 18 de novembro, nos arredores do Hotel Quality Serrazul, em Itupeva (SP), promete ser a mais acirrada dos últimos tempos. A equipe MTB90confirmou a presença do ciclista norte-americano Kelly Magelky, de 38 anos, que deseja fazer história no Brasil com a conquista do título na categoria solo.

"Será minha primeira visita ao Brasil. Sempre quis conhecer o país e nada melhor do que levar minha bike para pedalar por 12 horas seguidas" - conta Kelly que vive nas montanhas de Denver (Colorado).

Considerado um dos maiores especialistas em provas de MTB de longa duração da atualidade, Kelly Magelky chega ao Brasil com um portifólio de peso, como de Campeão Nacional Americano de 24 horas Solo; Medalha de prata no Campeonato Mundial de 24 horas Solo; e vencedor de 7 corridas de 100 milhas (160km).

"Me sinto muito preparado. Há 2 semanas, venci o circuito norte-americano de MTB 24 horas. Meu foco foi manter-me saudável e focado para correr no Brasil. Sei que haverá muitos ciclistas rápidos no pelotão, por isso pretendo largar forte e colocar meu ritmo. Gosto da ideia de ser um percurso mais curto (6,5km) do que geralmente participo, com isso posso contar com maior apoio do meu time. Estou muito motivado"  - acrescenta Kelly que recebeu o convite para representar a nova potência do cenário nacional, MTB90.


Seguindo os passos da lenda do MTB

A equipe MTB90 será representada por seis atletas no MTB 12 Horas 2017. Além do estrangeiro Kelly Magelky, o ciclista revelação Ulisses Nunes é a aposta do time na categoria solo.

Já na busca pelo bicampeonato geral da competição, a MTB90 terá o quarteto formado pelo lendário Tinker Juarez, Lukas Kaufmann, Bob Nogueira e Hugo Prado Neto, campeões do MTB 12 Horas 2015 e vice-campeões em 2016.

"Conheço o Tinker Juarez muito bem. Ele sempre foi meu herói desde que comecei a competir e, quando me tornei profissional, começamos a correr juntos e nos tornamos amigos. Já tivemos batalhas épicas em provas de 24 horas. O Tinker consegue pedalar veloz por muito tempo, sem parecer que está sofrendo" - comenta Kelly, que assim como os demais atletas da equipe, admiram o veterano Tinker Juarez, e desta vez, estarão todos vestindo a mesma camisa da MTB90.

Aos 56 anos, Tinker Juarez é um exemplo de longevidade nos pedais. Esta será a terceira vez que Tinker competirá em equipe. O atleta norte-americano comprova que é uma lenda do esporte e ídolo no Brasil, colecionando quatro títulos solo no MTB 12 Horas do Brasil (2003, 2005, 2008 e 2014), duas participações olímpicas (Jogos de Atlanta 1996 e Sydney 2000), entre outros títulos mundiais e nacionais.

Transmissão ao vivo

A equipe MTB90 inova dentro e fora das pistas. Por isso, acompanhe a transmissão AO VIVO do MTB 12 Horas 2017 pelo página do Facebook da MTB90 a partir das 11:30 horas do sábado, dia 18 de novembro!

Com uma infraestrutura inédita no país, com estúdio de transmissão, repórter de campo, comentaristas e um espaço diferenciado, a MTB90 vai revelar o melhor do esporte nacional para você assistir ao conforto da sua tela do smartphone ou computador.

FIQUE LIGADO!

Facebook.com/MTB90

Instagram.com/mountainbike90

Youtube.com/MTB90

O que é ciclismo?


Muito além de madrugar todos os dias, especialmente fins de semana,
De seguir uma rotina focado na bicicleta,
Das dietas,
Dos contratempos durante os pedais,
De sofrer em treinos no limite do corpo e ainda sorrir depois disso...
Ciclismo não é só um esporte,
É um estilo de vida,
É sempre buscar evoluir,
Ele molda seu caráter através de toda disciplina e imprevistos diários,
Aprendemos a dar mais valor à vida através de todo esforço dispendido.
Mas o que queria mesmo é por em palavras aquele sentimento,
Aquele de quando estamos no limite em uma montanha,
Aquele quando estamos em uma passada veloz mas ainda assim confortável,
Onde olhamos um segundo para baixo e vemos as pernas no ritmo dos batimentos,
Ouvimos nosso ofegar e o coração como um tambor no peito,
Mas ao mesmo tempo sentimos que o tempo parou, nós e bicicleta viramos um só, e com isso vem aquela sensação inexplicável de prazer.
É, isso sim é o ciclismo!

Por: Felipe Molina

Estudo explica paixão de homens de meia idade pelo ciclismo


Uma pesquisa da Universidade East London, com estudo publicado no Journal Qualitative Research in Sport, Exercise and Health, examinou mais a fundo o que leva homens de meia idade a pedalar, e mostrou que a causa tem mais a ver com saúde física e mental do que com crise de meia idade. Ao entrevistar um grupo de ciclistas homens entre 35 e 50 anos que pedalavam rotineiramente por estradas afastadas do centro, os pesquisadores concluíram que atividades físicas realizadas em ambientes naturais causam efeitos psicológicos muito mais positivos do que seus equivalentes realizados em ambientes internos. Para o estudo, os pesquisadores fizeram análises psicológicas profundas em 11 indivíduos classificados como ciclistas recreacionais sérios, que pedalam há pelo menos 2 anos com mais de uma hora semanal de pedal "na natureza".


Segundo os pesquisadores, os ciclistas puderam ser divididos em três grupos principais: domínio e prazeres descomplicados (desafios com subidas duras e percursos longos), meu lugar de fuga e rejuvenescimento (os que pedalam para recarregar as energias observando as belas paisagens) e, por último, sozinho mas conectado (os que pedalam em grupo onde não existe pressão para conversar, mas com possibilidades de contato social frequentes).

Para os pesquisadores, a pesquisa refuta a ideia que muitos têm de ciclistas de meia idade, geralmente associados a homens que tentam de todas as formas negar a passagem do tempo.

Fonte: Revista Bicicleta

domingo, 8 de outubro de 2017

Pedal da Moda 2017

SUCESSO!

Grupos de ciclismo que se fizeram presentes no Pedal da Moda
 

É o que pode se dizer do PEDAL DA MODA 2017 que aconteceu hoje em Santa Cruz do Capibaribe.

Exposição de bicicletas antigas fazendo a galera votar ao passado


Mais uma vez, a equipe da HILL BIKES, em união com IRAM BIKES e a TURMA DO BATOM, mostraram que quando se junta forças para realizar um sonho, as coisas acontecem, tudo fica mais fácil de enfrentar e as dificuldades que vierem pela frente, serão superadas da melhor maneira.

Foi um trabalho árduo que começou a muitos meses atrás, e que foi coroado com êxito e sucesso no dia de hoje, com a realização de fato deste grandioso evento.

O 3º PEDAL DA MODA  contou com a colaboração de inúmeros amigos que não mediram esforços e se juntaram á equipe organizadora dando o máximo de si, e num trabalho em conjunto, cada um fazendo sua parte, espalhados por todo o percurso, e ao longo de todo tempo que antecedeu o evento, tivemos esta bonita festa que contou com a participação de centenas de ciclistas de Santa Cruz e de outras cidades de Pernambuco, além de vários outros estados a exemplo da Paraíba, Rio Grande do Norte, Alagoas, Bahia.

Foi  um dia pra ficar marcado na mente daqueles que amam o pedal. Com trilhas que desafiavam as habilidades dos pedaleiros e subidas que faziam com que aqueles menos experientes, se superassem, testando seus limites e os vencendo. Dando aos guerreiros a sensação de vitória por conseguirem superar a si mesmo.

As seis horas da manhã tudo já estava montado na sede do Clube Ypiranga, local da concentração onde a equipe organizadora esperava de braços abertos todos os amigos que iriam participar do evento, acolhendo principalmente aos muitos visitantes que chegavam de vários estados do nordeste em nossa cidade para viver um dia de aventura.

As Divas de Lajedo vieram em massa

 

 

 

 

 

 

 

Enquanto aguardavam o momento da saída, os ciclistas iam se enturmando, fazendo novas amizades, registrando suas presenças no evento através de fotos e divulgando seus grupos de pedais, que por sinal, tivemos a participação de mais de 40 grupos  de amigos que pedalam frequentemente e que divulgam o esporte em suas regiões, mostrando a força da galera que gosta de curtir a natureza pedalando.

Laerço e seus amigo do Brejo sempre presente em eventos da Capital da Moda

 

 

 

 

Galera do Café com Cristo não poderia faltar.

 

 

 

 

 

 

 

Com um reforçado café da manhã, a galera ia se preparando para enfrentar o que teríamos pela frente, mesmo sabendo que durante todo o percurso, contariam com cinco pontos de apoio onde poderiam repor as energias e dá aquela descansada legal.

Todo apoio necessário antes do pedal

 

 

 

 

 

As Feras mostrando sua beleza no evento
 

Por volta das nove horas da manhã a galera se preparou para o melhor da festa, lotando algumas ruas da cidade fizeram aquele desfile bonito com destino a zona rural.

É chegada a hora de pegar a estrada e curtir a natureza
  

 

 

 

 

 

 

Uma oportunidade de rever os parentes e matar saudades

 

 

 

 

  

 

Superação: Este é o lema

 

 

 

 

 

 

 

 

Daí em diante foi só alegria, diversão e é claro, algumas quedas, arranhões e vários pneus furados pra não sair da rotina dos eventos deste porte, porém, a cada problema que acontecia, havia toda estrutura montada com mecânicos capacitados para que o pedal seguisse da melhor maneira possível.

 

 

 

 

Seguimos com destino a zona rural do Brejo da Madre de Deus por trilhas interessantes onde a paisagem do agreste era admirada pelos muitos ciclistas que a cada quilômetro ficava mais eufórico.

Amigos da Paraíba prestigiando e felizes com o percurso

 

 

 

 

 

 

Ana Paula que contribui muito para a divulgação do esporte na Paraíba
não poderia faltar.

 

 

 

 

 

 Saindo do estradão e pegando uns trechos mais fechados, porém, mais gostosos de pedalar


 

 

Equipe Pedal Livre de Caruaru cobrindo o evento.
Enquanto uns trabalhavam, outros se divertiam.. e todos eram felizes

 

 

 

 

 

 


  


 


 

 

 



  

 


  

 

 

 


 

 

 

 

 

Por onde passávamos, a galera era prestigiando o evento

 

  

 

 

 

 

Primeiro ponte de apoio com toda estrutura para os tantos amigos repor as energias e sentir ainda mais o clima de amizade entre eles.

Todo apoio dado aos ciclistas

 

 

 

 

 

 

 

E vamos em frente que ainda tem muito caminho pra descobrir e enfrentar com alegria e suor.

A turma do Batom era só alegria com o sucesso do evento

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A nossa região já começa a mostrar sinais da estiagem...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Ambulância acompanhando os ciclistas por todo percurso

 

 

 

 

 

 

Moradores da região entraram no clima do pedal

Chegando ao segundo ponto de apoio no Bar de Ciço para mais uma reidratada, saborear aquelas frutas frescas, água gelada e boas conversas.

Pedal Livre Caruaru deu um show de cobertura
 



 



 






 



 

Ciclistas numa confraternização sem tamanho. Só alegria e prazer
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Onde quer que fosse, precisou o socorro estava presente
  

 

  

Todas as tribo com suas irreverências e criatividades
Segue o passeio rumo ao terceiro ponto de apoio e ao trecho mais difícil do pedal. A subida do Coroinha que fez muitos descer da bike e sofrer um pouco. Mas nada que fizesse ninguém desistir, pelo contrário, foram momentos de superação para muitos.


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Agora veremos quem vencerá ou será vencido pelo coroinha

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E cá estamos nós registrando o sofrimento
 de todos que vão ficando pelo caminho...
O importante é não desistir
 

 

Ufa... Conseguimos!

Coroinha já era. Agora é só festejar a conquista de está aqui em cima e ver que nem foi tão difícil assim...

Terceiro ponto de apoio com aquele Açaí mais que esperado..

Vai um açaizinho ai?

 

  

 

 

 

 

 

De todos os ângulos o Pedal da moda vai sendo registrado...

 

 

 

 

Vem aí mais uma ferinha dos Doidin.. Aguardem num futuro bem próximo.

 
 

Isso vale um abraço!
 

 

Nossos agradecimentos a todos que se dispuseram para que este evento fosse sucesso.

Em cada ponto de apoio a alegria dos colaboradores que não mediam esforços para atender a cada um dos amigos que participaram do pedal.

Se é pra servir, que seja com alegria e descontração.

 



 

 

Bem, já que agora é só descendo, vamos com cuidado, pois o trecho requer habilidade do ciclista.. Bar da pedra aí vamos nós!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Chegamos! Rapidinho e sem problemas. até aqui tudo na paz.

Nada melhor do que refrescar a cuda depois de 30km de pedal

 

 

  

 

Enquanto uns sofriam com o calor, outros não estavam nem ai para o clima..
turma do Relax

 

  

  

 

 

Vários casais participando do pedal dando aquele clima romântico



 


 

 

 

 

 

Guel mil e uma ultilidades

 

 

 

As Feras eram só alegria..

 

 

 

 

  

E o sentimento de dever cumprido vai chegando..
tudo dentro do esperado
E agora o destino final é Santa Cruz. Seguir sem pressa neste sol de meio dia com aquela disposição que não sabemos onde encontrar, mas que está presente fazendo com que a conclusão do percurso fosse feito com coragem.

Encontrando alguns amigos pelo caminho, pneu furado, fadiga e mais uma equipe dando total apoio ainda na reta final, a mesma alegria do ponto de partida.

 

 

 

 

 

 Bebeu água? Tá com sede?? Olha a água!!


 

 

 

 


Enfim, chegamos ao ponto de partida. 45km percorridos com muito alto astral, alegria e principalmente, a companhia de vários amigos conquistados estrada a fora.

Chegamos ao final de mais um grande evento em nossa cidade e a saudade já está presente, pois outro deste porte agora só ano que vem.

Este foi o PEDAL DA MODA 2017. 

Esperamos ter atendido a todas as expectativas e na certeza de que demos o melhor de nós para que este evento se tornasse realidade, contamos com todos novamente em 2018. Com mais experiência fazendo com que os imprevistos ocorridos este ano, fiquem para trás, fiquem nas estradas e subidas que passamos no dia de hoje. Tudo serve de aprendizado e tenham certeza que iremos elaborar outros caminhos, outras aventuras para que você amante do pedal, possa vir com seus amigos, sua família, sua turma de trilhas juntar-se a nós e fazer mais uma vez os sonhos tornarem realidade.


 

 

Obrigado a todos e Parabéns a cada um que se dispôs para que este evento acontecesse.