Subscribe:

Parceiros

.


segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Farol na bike... prende aonde?


Quanto mais inquieta é a mente, mais ela busca por alternativas! Isto é algo que se aprende desde cedo... e vamos dizer que nos leva ao exercício diário de soluções para problemas ou obstáculos corriqueiros. Quando reconstruí está Giant Sedona, da década de 90, modelo 760 ATX series, não imaginei que a decisão por manter o sistema de freio cantilever pudesse se tornar um obstáculo. Coloquei um cantilever moderno e a eficiência me agradou muito, porque estes novos modelos são realmente tecnológicos e trazem consigo a bagagem de solução dos velhos modelos. Então quem quer manter trocadores integrados as maçanetas de freio, daqueles antigos, justamente para sistema cantilever, pode simplesmente comprar freios modernos e assim ter a compatibilidade. Contudo, foram justamente os freios cantilever que me trouxeram alguma queima de cabeça para resolver onde colocar o farol. O cabo em "Y" (aquele Y de ponta cabeça), justamente se fixava junto furo de fixação do farol.

O parafuso apenas, poderia ser colocado ali, mas o farol se projeta para frente e pegaria no cabo. Isto me levou a pensar em outros motivos pelos quais o vbrake nasceu... veja a importância de pensar nos motivos da construção mecânica. Sem ter como prender o farol nesta bicicleta, porque no guidão uso a bolsa de guidão... me lembrei deste velho booster que se usava em bicicletas como alternativa de resistência aos esforços da frenagem. Aliás, eu questiono este motivo até hoje... contudo, agora torna-se um alternativa bem interessante. O booster pode ser usado como suporte de farol, e isto serve não apenas aos garfos rígidos, mas também aos garfos amortecidos que não possuem furação para para-lamas em seu arco de união (chamam de brake arch). O booster se parece muito com brake arch de alguns modelos antigos de suspensão de bicicleta, mas ele tem uma construção mais leve e delicada, também plana, justamente para fixar nos pivôs de freio vbrake ou cantilever. Então, como demonstro nas imagens, utilizei o booster para fixar o farol do cubo dínamo. Ao que parece, na minha escolha, o farol se posicionou um pouco mais baixo que o local onde deveria ser colocado originalmente, mas também se projetou para frente, o que permite uma boa eficiência no direcionamento. Quando a posição levemente lateral, acredito que não teve nenhum ônus. Tenho a impressão que no local original não ficaria bem também pela bolsa de guidão... mas seria o caso de averiguar se isto realmente tornou-se solução para estes casos. De qualquer forma, tudo que encontro de solução para os ciclistas, compartilho, pois sei que muitos são os modelos de componentes e bicicletas que deixam a desejar sobre uma alternativa de instalação de utilidades.

Fonte: Bikes do Andarilho / Roberto Furtado

Bicicleta para queimar as calorias

A “Folha de S. Paulo” publicou recentemente um artigo traduzido do “The New York Times” que aponta que andar de bicicleta ajuda a evitar ganho de peso em mulheres.

O artigo, que cita um estudo publicado no “Archives of Internal Medicine“, mostra que “mulheres que aumentaram atividades físicas como caminhada rápida e andar de bicicleta em 30 minutos por dia durante período de 16 anos mantiveram seu peso e até perderam alguns quilos, mas aquelas cujo exercício era caminhada lenta não perderam nenhum peso. As mulheres que reduziram seu tempo de bicicleta de mais de 15 minutos por dia para menos de 15 minutos ganharam cerca de 2 kg, em média”.

Para quem, assim como nós, já pedala com certa frequência, os resultados do estudo parecem ser óbvios. Além do ciclismo esportivo e de competição, o pedal de lazer ou de transporte também são atividades aeróbicas que queimam muitas calorias e ainda fortalecem os músculos das pernas. Mas mesmo assim, é muito interessante que dois jornais de enorme circulação (NYT e Folha) reproduzam para um público maior os benefícios do pedal!

Fonte: Eu Vou de Bike

Pedaladas longas: Algumas dicas para uma melhor performance



Se você vai pedalar 100km, por exemplo, com média de 25km/h, lá se vão 4 horas, fora as paradas, descansos, etc. Ou seja, é um programa delicioso, mas dedique a ele o tempo que o pedal merece! E finalmente o último fator, é a companhia. Não é sempre que estou animado de fazer sozinho, e por outro lado, é difícil arrumar um guerreiro disposto a te acompanhar numa dessas.

Dica 1 -  Hidratação

A cada 15, 20 minutos um pouco d’água. No caso de pedaladas de longa duração (acima de 2 horas) utilize isotônico que também repõe sais minerais e tem carboidratos para manter a energia.

Dica 2 -  Alimentação

Faz uma grande diferança. Durante o pedal uma barra de ceral vai bem. já no "banquete" seria interesasnte sanduiches, frutas etc. Não deixei seu corpo sentir fome isso irá deixar fraco e cansado tornando sua pedala mais difícil. Devemos manter a ingestão de carboidratos  para termos energia durante toda a pedalada. Se desejar poderá procurar um nutricionista que poderá lhe auxiliar com a limetação correta.

Dica 3 -  Conforto

Bermuda acolchoada e selim confortável. Mamãe passou talquinho e cuidou tão bem, não vamos fazer pouco caso agora. Outra coisa fundamental é uma bicicleta bem regulada para o seu tamanho, pois você vai ficar muito tempo em cima dela, e deve se sentir bem.

Dica 4 - Pedale com as costas livres

Nada de mochila, pochete ou mochila de hidratação. Da mesma forma, ao longo das horas, o pequeno peso vira um verdadeiro fardo a ser carregado, e a lombar que já é exigida por posições mais agressivas de pedalada vai “abrir o bico”.

Fonte: Revista Bicicleta por Blog / Até Onde Deu Pra Ir de Bicicleta

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

IX Desafio Onde é o Pedal: Campina Grande - PB

Campina Grande - PB, foi a cidade que a turma Onde é o Pedal? se fez presente em mais uma disputa.

Foi mais uma corrida dos nossos amigos, desta vez valendo pelo Brasileiro com muitos atletas no Norte e Nordeste num alto nível fazendo com que a prova fosse marcante.






 

 

 

 


 

 

 


 
























































































O atleta que inicia o campeonato não é o mesmo que se consagra campeão.

 Para chegar ao título ele teve que se evoluir, treinar, desenvolver habilidades, competências e se reinventar.

Quero agradecer primeiramente a DEUS e depois aos nossos patrocinadores que vem nós ajudando e incentivando a continuar nesta competições.

#jp rações
#joggofi
#Sportcompany
#Escoladinâmica
#palpitecerto
#SnakyGymacademia
#L.sol
#Aviamentobrasil
#CIABIKE
#ondeeopedal
#JL Construção