Subscribe:

Parceiros

.


quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Pedal Ciclo Mania: Juntos e Misturados pedalando com Independência

07 de Setembro, dia da "Independência" do Brasil, mas para nós ciclistas é o dia da nossa liberdade e esta liberdade é o que nos move, nos faz sentir vivos.

Sempre que temos um feriado, aproveitamos para juntar os amigos, pegar a bike e sair por aí com hora e destino pré determinados mas  sem hora pra voltar, pois imprevistos sempre acontecem e definir um horário pra volta fica complicado.

Temos um cuidado todo especial para que ninguém fique para trás, pois cada um tem seu próprio ritmo e nossa intenção é deixar todos a vontade.

Para isso definimos alguns pontos de espera para reagrupar a galera, o que não é problema algum, pois a intensão principal é se divertir e passar um dia diferente ao lado dos amigos.

E foi assim que começamos o dia de hoje, juntamos a turma do Pedal com Cristo que semanalmente realiza pedais nas noites de terças e quintas às 19:00hs com a turma do Ciclo Mania,  que pedalar sempre de terça a sexta as 5:30 da manhã, além de alguns amigos do Onde é o Pedal?  que sempre está  realizando bons pedais em nossa região e participando de eventos em outras cidades.

Depois de combinarmos com a Turma do Café com Cristo e definir que o Pedal da Independência este ano seria para Vila do Pará, por caminhos alternativos fugindo do estradão principal para aumentar o percurso a aproveitar melhor o passeio, convidamos os amigos que fazem parte dos grupos em questão e para nossa felicidade fomos em trinta pessoas com destaque para Ana Paula que encarou os 70km com garra e alegria.

Saímos às 6:30 com destino a Vila do Algodão que fica na zona rural de Taquaritinga do Norte e de lá seguimos para o Pindurão dos Ramos já na zona rural de Santa Cruz para de lá finalizar o caminho de ida até a Vila do Pará concluindo a viagem com mais de 40km chegando na Vila por volta das 8:30.

Chegando lá fomos recepcionados com um banquete típico de nossa região. Cuscuz arroz, bode e galinha caipira para saciar a fome da galera. E olhe que hoje eles estavam dispostos não só no pedala, mas principalmente na mesa.

Deixamos vocês agora com um resumo do que foi o nosso pedal através de fotos e alguns comentários sobre os acontecimentos que se destacaram

As 6:30 da manhã, quem chegou vai, quem não chegou só no próximo
Amanhecemos o dia dispostos a encarar os exatos 68,7km marcados no Strava. Logo cedo os amigos já estavam ansiosos no ponto de partida que foi em frente a Igreja de São Cristóvão e sem atraso que fosse merecedor de destaques, por incrível que pareça.


  

 

  

 

Momentos de reencontros e aquela descontração habitual

 

 

 

 

  


Todos a postos, é hora de seguir caminho, não esquecendo é claro, de pedir proteção e agradecer ao Senhor por mais um dia ao lado dos amigos.

Antes de sair, pedir a proteção de Deus e agradecer por tudo que nos é dado

 

 

E vamos embora que o bode já está no fogo.

 

 

 

 

 

 


Saindo da zona urbana e entrando na zona rural com destino a vila do Algodão, via corredor de Erenício.

 

Homem e animal se encontram, cada um respeitando o seu espaço.
  

 

 

 

Chegando no algodão, destino agora é São Paulo de Cinézio

Primeiro Pit stop para uma calibrada no Pneu
 

 

 

 

 


De São Paulo ao pará é só um pulo... é logo ali... será?

 

 

 

 

 

Chegando no estradão da Barra parada do reagrupamento

 

 

  

 

Continuar no estradão até segunda ordem do orientador do percurso.
Rumo ao Pìndurão dos Ramos.


  

 

 

Ciclistas peso pesado mostrando raça, seguindo firme sem se incomodar com a temperatura que nem estava tão cruel. E quando as subidas apareciam, a alegria brotava no rosto de cada um por saber que logo em seguida viria uma descida boa... ou não.

Guel Ramos e sua disposição

Lídio Jr encarando as subidas numa boa

 

 

Unidos pela Bike Leo e Ana Paula presentes e felizes.
Esperar a galera pra não pegar o caminho errado.. faltam pouco menos de 10km até o Pará.
Mais um reagrupamento na bifurcação para ninguém se perder. Todos juntos, segui o passeio a diante!

E a galera não cansa, e se cansa, disfarça bem. E tome perna!

 

 

 

 

Imagens de nossa terra

Voltando ao normal... o verde sumindo... e cinza chegando...



 

 

 

Independente de sexo ou idade, pedalar sempre faz bem. 

 

 

 



Serra do Pará á vista! Estamos perto.

Chegamos! 
Agora que chegamos mais ou menos inteiros, descansar um pouco, fazer aquela mala e comentar o pedal e seus acontecimentos...

Só na espera do lanche

  

 

 

 

 

Só esperando a hora da merenda, até parece que nem querem comer...
Bem, já que é para comer, sabemos que a galera fará isso apenas pra manter o ritu, vamos todos com calma em fila bem organizados e sem pressa, pois acredito que a fome não é tão grande assim...

 

 

 

 

Durante o percurso foi tudo na paz, sem disputa, um pedal de amigos onde ninguém quis mostrar que é melhor que o outro. deixaram essa disputa pra hora do rango mesmo..

Estes são os três finalistas na disputa do Barriga de Ouro. Jânio começou na frente deixando os concorrentes de boca aberta literalmente, mas perdeu o troféu logo que Welber resolveu entrar na disputa. Para não ficar por baixo e mostrar espírito competitivo, Marcos tomou a liderança de Welber e se achou o vencedor, cantando vitória antes do tempo.

Jânio Prato Cheio. Primeiro concorrente ao comilão do dia

Welber Sorriso. Segundo Concorrente

 

Marcos Regime. Terceiro concorrente
Enquanto a disputa rolava, os demais apenas saciavam sua fome normalmente sem exageros, pois sabiam que ainda precisavam voltar pra casa por mais 30km aproximadamente.

 

 

 

E quando tudo se encaminhava para a vitória de Marcos por duas colheres e um pedaço de bode, eis que surge do fundo da panela, ele! Com seu espírito de competição buscando sempre o primeiro lugar, Welber dose dupla! Que repetiu o prato se superando e fazendo inveja a qualquer Cristão mortal. E demostrando uma ótima performance, mesmo com aparência de quem não resistira, encarou o segundo prato com disposição e conquistou o primeiro lugar indiscutivelmente



 

Vitória merecida ao derrubar este segundo pratinho de comida

Enquanto isso Ana Paula saboreava apenas um guaraná... tadinha..
Finalizada a disputa, todos saciados e de bucho cheio, é hora de ser feliz, coçar os bolsos e fazer o torra.

Estamos careca de saber que esta é a hora mais desagradável.
Porém é preciso e todos fizeram sua parte muito bem.

 

Ânimos acalmados, decretado o vitorioso e pago a conta, agora é fazer aquela caminhada digestiva, bater aquele bom papo pra passar o tempo enquanto o comer assenta no bucho, para poder seguir de volta pra casa sem maiores problemas.

  

 

 

 

Agora sim, tudo ok. De volta pra casa com calma.

Antes da saída, fazer o registro da galera toda unida pra ficar guardado nos arquivos do Blog.

Paisagem do Interior: Serra do Pará ao fundo com moradores na praça

 




  

 

 

 


Todos prontos? Olha o passarinho!

Aí estão os 30 amigos que fizeram a diferença neste feriado.

 

 

E de repente nos deparamos com a turma que veio caminhando de Santa Cruz
Agora é arrumar a mala e pegar o beco. Já que não tem mala e nem beco, é pegar a bike e seguir caminho por trilhas e estradões até Barra da Cruz, onde teremos nosso último ponto de parada para reagrupamento.

 

 


Serra do Pará e seus tantos mistérios.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

/Novos amigos que encontramos pelo caminho

 

 

  

 

Agora a disputa é pra ver quem anda mais com as mãos soltas... é cada uma... mai num cai!



Deu empate na disputa a cima. 

Sigamos com nosso passeio sem medo de ser feliz, abrindo e fechando todas as porteiras que aparecem caminho a dentro

Todo ciclista que se preza deixa a estrada da forma que encontrou

Enquanto uns vão, outros vem, cada um ao seu modo, mas todos felizes.

 

 

Chegando em Barra da Cruz nos deparamos com os destemidos caminhantes que saíram ás 4:30 da manhã de Santa Cruz numa caminhada de fé até o povoado, percorrendo assim 23km na sola do sapato. Parabéns a todos que participaram desta caminhada puxada por Padre Márcio.

 

 

 

Missa da Paz realizada por Pe Márcio em Barra da Cruz

 

 

 

 

 

 

E o nosso amigo Welber parece que está desunerando.. Seria comida de mais?
Agora sim, vamos pra casa depois de mais de 50km pedalados, ja feita a digestão, no passo da ema, devagar e sempre.
Vamos que vamos que ainda são 11 horas.

  

  

Para amenizar o sofrimento, o céu permanece carregado de nuvens abençoadas
Primeiro Pit Stop da volta para reparar um furo no pneu de Welber...

  

Enquanto isso... poses para foto

 

 

 


Segunda parada... e o buraco só aumenta...

Esses borracheiros não tão com nada.
Aproveitar a parada e descansar a sombra do...
 

Que pau é esse que tu tá embaixo, Bau?
O pau eu não sei, só sei que é proibido caçar e pescar. Pescar?

 

Um Pit Stop demorado assim faz perder a liderança de qualquer corrida



Saímos da segunda parada e demos de cara com a terceira parada... A bike do Irmão revoltou-se e só agora descobrimos o porquê.

Devido o grande volume de peso adquirido na refeição, a bike se viu menosprezada por não ser informada do aumento corporal do nosso amigo Welber e a única forma de reclamar, foi indo com o pneu ao chão, para que o mesmo sentisse na pele e repensasse na forma de agir com a companheira.

Última parada registrada, porém, não a última acontecida.
Mais adiante mais um pneu que não aguentando o aumento de peso, se recusa a rodar...


Problemas pessoais resolvidos, vamos ver se finda essa empeleitada...


 

Enquanto estamos loucos pra chegar em casa, eis que surge um maluco
meio dia começando seu pedal... cada doido com seus pantins.
Bem, não temos nada a ver com a loucura de ninguém, vamos simbóra que já é mei dia.

 

 

 

Ufa! Estamos quase lá. apenas alguns metros nos separam de casa... saímos da poeira, costelas e trilhas para entrar no asfalto e encontrar o vento na cara... o que é pior?

 

 

Agora sim podemos comemorar! 

Enquanto uns já estão em casa descansando, outros estão chegando e alguns ainda estão por vir.

Mas o certo é que todos estão satisfeitos com a manhã que tiveram. 

Sol, subida, cansaço, calor, tudo isso não supera a alegria de está com os amigos fazendo o que gostamos para daí, começar o dia em alto astral e de bom humor.

De volta a Santa Cruz dos meus sonhos...
 

Guel chegando inteirinho da Silva....

 

 

 

 

E assim finalizamos mais um pedal entre amigos.

Agradecendo a Deus mais uma vez por tudo ter dado certo e nenhum problema maior ter acontecido.

Aos amigos do CAFÉ COM CRISTO e a galera do ONDE É O PEDAL?, fica nossa alegria por estarmos juntos mostrando que no pedal a matemática que usamos é apenas a de somar e multiplicar.

Aguardamos a próxima aventura para que possamos está juntos novamente com todos que se fizeram presentes neste pedal, somado a você que ficou só na vontade.

0 comentários:

Postar um comentário