Subscribe:

Parceiros

.


quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Dívidas ameaçam futuro do Giro D’Itália e outras provas italianas

Contador na 15ª etapa do Giro D’Itália Foto: RCS Sports
O futuro da RCS Mediagroup, empresa organizadora do Giro D’Itália e de mais 9 competições de ciclismo, está ameaçado pelas dívidas. Segundo reportagem do jornal econômico Milano Finanza, a empresa deve quase 500 milhões de euros aos bancos. Nesta quinta-feira (19 de outubro) uma reunião entre empresários, patrocinadores e acionistas vai buscar uma solução.

Na imprensa especializada já há apostas de que a RCS será comprada pela francesa ASO, organizadora do Tour de France e de mais 18 importantes corridas do calendário do ciclismo. As empresas são as duas maiores organizadoras de competições do ciclismo na Europa. A RCS também organiza eventos de outros esportes, como maratona e baquete.

Uma das áreas de negócios da RCS é a Unidad Editorial, grupo espanhol que publica o jornal Marca. Na Itália, a RCS é dona também do jornal La Gazzetta dello Sport, que começou a ser publicado em 1909, quando o Giro D’Itália estreou, além do Corriere della Sera.

A reportagem afirma que o grupo italiano amortizou sua dívida com um pagamento de 564 milhões de euros, mas ainda faltam 472 milhões para zerar o saldo negativo. A empresa busca o refinanciamento junto aos bancos, mas a crise econômica na Europa e, mais especificamente, a crise dos jornais impressos podem complicar a negociação. O diretor da área de esportes da RCS, Paolo Bellino, nega que a empresa está à venda. “É só olhar o noticiário para entender que este é um período difícil. Todas as empresas atravessam dias difíceis.”

A RSC é organizadora, além do Giro D’Itália, das provas Milão-San Remo, Il Lombardia, Tirreno-Adriático, Strade Bianche, Roma Maxima, Milão-Torino, Giro de Piemonte, Abu Dhabi Tour e Tour de Dubai.

Confira a reportagem do Milano Finanza aqui

Fonte: Bikemagazine

0 comentários:

Postar um comentário