Subscribe:

Parceiros

.


sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

Viviane Favery estreia em equipe alemã em dupla com suíça

Viviane Favery e a suíça Nathalie Schneitter
A brasileira Viviane Favery, nova integrante da equipe alemã Rose Vaujany fueled by ultraSPORTS, estreia nesta quinta-feira (28 de janeiro) na disputa da ultramaratona Costablanca Bike Race, na Espanha, que vai até domingo. A atleta formará dupla com a suíça Nathalie Schneitter, uma das cinco integrantes do novo time da brasileira.

A primeira e segunda etapas têm início às 7h (de Brasília; 10h na Espanha). A terceira, às 6h (horário brasileiro). Apesar de já ter disputado muitas competições importantes, como a Brasil Ride, no ano passado, a atleta não esconde a expectativa por fazer a estreia pela nova equipe e por conhecer todos os companheiros. “Estou ansiosa para sentir aquele frio na barriga, a tensão da largada, o coração acelerando antes de pedalar. E o fato de estar com a equipe só multiplica isso. Vai ser muito emocionante alinhar sendo uma integrante da Rose, representando uma equipe tão sólida e reconhecida. Fui para a Serra da Mantiqueira treinar nas melhores trilhas que temos em São Paulo. Além dos treinos de mountain bike, também ando muito na estrada”, afirma.

Mesmo motivada para a sua primeira competição pela nova equipe, Vivi Favery não quer se preocupar, por enquanto, com os resultados. O primeiro passo, para ela, é se entrosar com os novos companheiros e buscar evolução para as competições que virão pela frente neste ano. “Não estou pensando em resultado para essa prova. Nosso objetivo é o entrosamento da equipe, começar a temporada de competição e participar de um evento super bacana que tem pontuação da UCI (União Ciclística Internacional). Tenho feito uma boa base de treinos e me preparei para essa prova. Mas, por ser a primeira desde a Brasil Ride, acho que vai doer um pouco colocar o corpo novamente em ritmo de competição”, acredita Vivi Favery.

“A Costablanca é uma ultramaratona curta e técnica, que me lembra muito as características da Pisgah Stage Race, que fiz no ano passado, nos Estados Unidos”, acrescenta. “As duas primeiras etapas devem durar entre 2h30 e 3h, a terceira etapa é mais longa (umas quatro horas) e a quarta e última é um contrarrelógio que deve durar, no máximo, uns 30 minutos. Acho que esse tipo de distância é excelente para poder curtir o dia fora da bike, se recuperar e se preparar para a etapa seguinte. A Nathalie e eu poderemos, tranquilamente, ajustar nossa parceria para provas futuras”, conta.

Depois da disputa da Costablanca Bike Race, a equipe viaja para Mallorca, também na Espanha, onde os atletas treinam. Lá, será feito um training camp e o lançamento da equipe para a imprensa global, com presença dos patrocinadores.

Fonte: BikeMagazine

0 comentários:

Postar um comentário