Subscribe:

Parceiros

.


domingo, 22 de janeiro de 2017

Qual a bicicleta ideal para praticar Mountain Bike?


O Mountain Bike é uma modalidade de ciclismo que tem ganhado cada vez mais adeptos. A adrenalina de encarar subidas e descidas – com ou sem obstáculos – e curtir vistas de tirar o fôlego, vem chamando a atenção de vários ciclistas amadores, os convidando a vestir o capacete e partir para o pedal.


Mas nem sempre as bicicletas foram feitas para andar em trilhas de terra. Em 1950 um grupo de jovens californianos começaram a usar suas bicicletas de passeio e transporte para subir e descer trilhas nas ladeiras da Califórnia. Aquilo chamou a atenção de muita gente, e na década de 70 o Mountain Bike já era um esporte popular nos Estados Unidos.

Desde então as bikes foram ganhando novas adaptações àquele ambiente novo; os pneus ficaram mais largos e ganharam cravos, as bicicletas ganharam marchas, a geometria mudou, favorecendo o pedal em terrenos inclinados e apareceram as suspensões, primeiro as dianteiras e depois traseiras. Com a criação de novas bikes, surgiam novas modalidades. Cross Country (XCO), Downhill (DH), Enduro, Free Ride e muitas outras, cada uma com suas particularidades, e demandando bicicletas com características específicas.

Quem hoje olha para uma bicicleta de Cross Country e uma de Downhill se assusta com a diferença. As bicicletas para Mountain Bike foram se diferenciando, e por isso quem procura entrar no esporte deve saber qual tipo de bicicleta ideal a procurar.

Este artigo irá te ajudar a decidir qual bicicleta ideal para a modalidade que você quer praticar. E aí, qual bicicleta é ideal para praticar cada modalidade de Mountain Bike?

Cross Country

O Cross Country consiste em trilhas e estradas de terra, com muitas subidas e descidas, cheias de obstáculos naturais, como raízes e pedras. As provas variam em distância, que são desde pequenos circuitos até longos trechos acima 40, 100, 200 quilômetros de pedal, em meio à variados desafios.  A bicicleta ideal para essa modalidade precisa ser super eficaz nas subidas, mas sair-se bem nas descidas.


Por isso, as bicicletas de XCO tem uma geometria bem característica, que busca deixar a frente da bike mais baixa, facilitando o pedal em subidas inclinadas. As bicicletas são mais leves, tem suspensões menores e mais rígidas, entretanto muito eficazes para suavizar o impacto causado por irregularidades na pista. Muitas vezes, os atletas optam por bicicletas hardtail, ou seja, bikes que possuem apenas a suspensão dianteira e não possuem a traseira. Um exemplo de bicicleta hardtail é essa:

As bicicletas de XCO visam obter o melhor desempenho do pedal. Para isso possuem pneus com cravos medianos para pequenos, com uma largura que fica entre 1.7 e 2.2. Os aros ficam entre 27.5 e 29, sendo essa segunda opção a mais utilizada atualmente. O uso do cambio único traseiro, com algo em torno de 10 velocidades, está se tornando unanimidade, apesar da bike da foto possuir um câmbio dianteiro, com duas coroas.

A altura do banco é um fator importante no Mountain Bike. Bancos altos, acima da linha do guidão, são recomendados para subidas. O ciclista que usa banco alto consegue ter um proveito maior do pedal, e fica em uma posição melhor para subidas íngremes, podendo colocar o peso de seu corpo na parte da frente da bicicleta.

O uso das bikes Full suspension, isto é, aquelas que possuem suspensão tanto dianteira quanto traseira, é muito comum no XCO. Entretanto essas bikes costumam possuir um valor de mercado elevado, sendo menos escolhidas por quem está entrando no esporte.

Caso queira conhecer mais bicicletas preparadas para o Cross Country, esse link te leva para um bom Top 5 de bikes para XCO.

Downhill


O Downhill é um tipo de ciclismo de montanha que visa apenas a descida. Nessa modalidade os ciclistas enfrentam trilhas repletas de trechos íngremes, com muitas pedras, raízes e obstáculos não naturais, como rampas ou curvas de nível.

Nas corridas de Downhill, vence o ciclista que faz um determinado trecho no menor tempo possível. As pistas costumam variar entre 2 e 6 minutos de descida, com muitos obstáculos e saltos.

A bicicleta ideal para o Dh é desenvolvida para ser rápida e resistente, mas deve também oferecer um ótimo amortecimento para superar pedras, raízes e grandes pulos. Para isso, os ciclistas dessa modalidade optam por bikes full suspension. Esse é um exemplo de bicicleta ideal para o Downhill:


A presença de grandes amortecedores é marcante. A bicicleta é desenvolvida para aguentar fortes impactos e obstáculos variados. As rodas utilizadas em uma bike de Dh variam entre aro 26 e aro 27.5, sendo a segunda opção mais utilizada atualmente. Os pneus possuem cravos grandes, que variam de tamanho, formato e distribuição de acordo com o terreno enfrentado.

As bicicletas contam com poucas marchas, normalmente entre 6 e 9. As marchas são pesadas, próprias para o pedal em descidas ou retas. Os freios são uma parte importante dessa bike. A utilização de freios a disco já é convenção no Mountain Bike, mas no Downhill os freios são especialmente projetados para serem poderosos e eficazes, mesmo em ambientes molhados e com muita lama.

Diferente das bikes feitas para subidas, uma bicicleta de Downhill normalmente é pilotada com o banco em uma altura média. A altura do banco é alinhada com o guidão. Esse ajuste é importante, pois deixa o banco ao alcance caso o ciclista precise sentar e pedalar, mas ao mesmo tempo não incomoda quando ele desce terrenos muito inclinados ou mesmo pilota em pé.

Assim como no XCO, uma bike boa para Downhill pode custar bastante dinheiro. A utilização de bikes mais simples, e menos específicas para o DH pode ser uma saída para quem está entrando no esporte agora.

Enduro / All Mountain


Enduro e All Mountain na verdade não são exatamente iguais, mas tem grandes semelhanças. Essas modalidades basicamente são uma mistura das duas acima, sendo que o enduro é mais focado em descidas, como o Downhill, e o All Mountain tem subidas e descidas, como o Cross Country.

O Enduro é a modalidade que mais cresce atualmente no mundo. Isso por que dá aos ciclista tudo o que o Mountain Bike tem a oferecer: o desafio das subidas, sempre com obstáculos e belas paisagens, e das descidas, com saltos, pedras, curvas e muita adrenalina.

Essa modalidade vem superando outras que já tiveram mais importância no cenário do Mountain Bike. O Free Ride, que consiste no ciclismo livre de montanha, buscando principalmente saltos e manobras, está diminuindo: ao menos as bikes especializadas para Free Ride sim.

Com as bicicletas de Downhill ficando cada vez mais leves e ágeis, e as de Enduro se tornando cada vez mais resistentes e poderosas, poucas fábricas estão construindo bikes especialmente para o Free Ride. Hoje nas competições mais famosas de Free Ride, dificilmente se encontra uma bicicleta que não seja de Dh ou Enduro.

Tudo isso só é possível porque a bike destinada ao Enduro e All Mountain é excelente nos dois fundamentos: é ótima em subidas e impecável nas descidas e saltos. Para conseguir isso ela deve ser leve, ágil e funcional. Um exemplo de bicicleta ideal para essas modalidades é este:


Nesta modalidade, os amortecedores são muito importantes, pois as trilhas contêm saltos, pedras, raízes e irregularidades de terreno. Entretanto, a opção é por suspensões com tamanho menor que das bikes de Downhill, e maiores que das bikes de Cross Country. Normalmente ficam entre 150 e 170 milímetros, tanto na frente como atrás. Várias bikes de All Mountain e Enduro possuem suspensões que podem ser travadas. Isso é importante pois ao travar a suspensão é possível obter um desempenho melhor em cada pedalada, facilitando o pedal nas subidas.

Os aros costumam ser de 27.5, e os pneus tem cravos grandes ou intermediários, dependendo do terreno. Um fator importante é que essas bicicletas possuem câmbios com algo em torno de 11 marchas, variando entre marchas pesadas, para descidas em velocidade, e leves, para subidas íngremes.

A geometria do quadro faz com que a bike seja primordialmente rápida em descidas e curvas, mas com bom desempenho em subidas. A altura do banco em uma bike de Enduro é um complicador, pois existem trechos de subida inclinada e outros de descida íngreme.

Por isso, as bikes desta modalidade tem contado cada vez mais com o recurso do canote retrátil, como este do modelo acima. Esse recurso permite controlar a altura do banco através de um simples toque em um comando que fica afixado no guidão. Para subir, você regula o banco em uma altura maior, para descer, uma altura menor. Isso elimina o trabalho de parar e ajustar manualmente o banco, poupando tempo e fazendo a diferença em competições.

As bicicletas destinadas ao Enduro e All Mountain encaram qualquer desafio na montanha, e são ideais para quem quer pedalar em qualquer terreno e condição.

O Mountain Bike vem se desenvolvendo, e junto com ele, a tecnologia empregada nas bicicletas. Peças mais leves, resistentes e funcionais tem seu preço, literalmente. O aumento no preço das bikes faz com que a visibilidade deste esporte para assaltantes aumente bastante, infelizmente. Os ciclistas que possuem bikes como estas procuram se proteger e por isso a procura por seguros de bicicleta vem crescendo tanto.

Quem pratica alguma modalidade do Mountain Bike sabe como é um esporte gratificante e maravilhoso. Agora vamos pedalar

Fonte: VeloSeguro

0 comentários:

Postar um comentário