Subscribe:

.


quinta-feira, 14 de julho de 2016

Manual do torcedor dá dicas para quem vai assistir à prova de mountain bike na Olimpíada

Onde acontecerá, números, para quem torcer e o que esperar do Brasil são alguns dos conceitos básicos para os torcedores e fãs da modalidade

Atleta Scott, Nino Schurter, é o favorito à medalha de Ouro na Olimpíada Rio-2016
Foto: Jochen Haar/Scott
Faltam menos de 30 dias para o início dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro-RJ e a expectativa de acompanhar de perto os principais atletas do mundo cresce cada vez mais. No mountain bike, por exemplo, a disputa promete ser bastante acirrada já que a prova reunirá nomes como Jenny Rissveds e Jolanda Neff, no feminino, e Julien Absalon, Jaroslav Kulhavy e o favorito à medalha de ouro, Nino Schurter, no masculino. O mountain bike na Rio-16 acontecerá nos dias 20 e 21 de agosto.

Pensando nisso, separamos informações básicas e algumas curiosidades para não fazer feio na torcida do Centro de Mountain Bike, na capital fluminense. Veja abaixo:

Para quem torcer?

Nino Schurter: pentacampeão mundial e detentor de duas medalhas olímpicas (Bronze em Pequim-2008 e Prata em Londres-2012), o atleta Scott é um dos favoritos à conquista do ouro na Olimpíada do Rio de Janeiro. A Rio-2016 será a única oportunidade dos fãs acompanharem de perto o melhor mountain biker do mundo em ação.

É como se um dos melhores artistas ou bandas que você é fã viesse ao Brasil para se apresentar. Você não sabe quando ele volta, certo? Então, não dá para perder esse show.

Jenny Rissveds: aos 22 anos, a sueca conquistou a medalha de ouro na categoria Sub-23 do Campeonato Mundial, na República Tcheca, e pode surgir como uma das surpresas na categoria Elite Feminina. Companheiro de equipe de Nino Schurter (ambos são da Scott-Odlo), a atleta promete uma bela apresentação para o público presente no Centro de Mountain Bike, no Rio de Janeiro-RJ.

Outros nomes: o italiano Andrea Tiberi e os franceses Julien Absalon e Maxime Marotti também vivem grande fase em competições internacionais. Outro nome forte na disputa é o atual campeão olímpico, medalha de ouro em Londres-2012: o tcheco Jaroslav Kulhavy. Será incrível acompanhar essa disputa pelas primeiras posições.

Atletas brasileiros

A Seleção Brasileira de Mountain Bike vive sua melhor fase quando se trata de resultado. A prova disso foram os desempenhos de Henrique Avancini (22º) e Raiza Goulão (23º) no Campeonato Mundial da modalidade. Além deles, a equipe ainda conta com o experiente Rubinho Valeriano que chega à sua terceira Olimpíada consecutiva.

Momento histórico

Receber uma edição de Olimpíada no Brasil será algo ainda mais marcante já que reunirá os melhores do mundo na modalidade em um só lugar. É a oportunidade dos brasileiros contarem com o apoio da sua torcida em uma prova de grande proporção disputada dentro de casa. Esses são alguns dos diferenciais no desempenho do atleta.

Para saber mais, acesse o Guia do Espectador dos Jogos Olímpicos Rio 2016 e veja como aproveitar cada detalhe do mountain bike na competição.

Ingressos disponíveis

Os ingressos para a prova feminina de mountain bike na Olimpíada ainda estão disponíveis. Para adquirir, basta clicar no link.

Números do mountain bike nas Olimpíadas:

2 é o número de medalhas que Nino Schurter conquistou em Olímpiadas: bronze em Pequim-2008 e prata em Londres-2012. Seria hora do ouro no Rio-2016?

88 ciclistas (54 no masculino e 34 no feminino) estiveram no evento-teste para os Jogos Olímpicos no ano passado. Na ocasião, Nino Schurter saiu com a vitória.

1996 foi o ano em que o mountain bike estreou nos Jogos Olímpicos, em Atlanta (EUA). O primeiro campeão no masculino foi Bart Brentjens. Ainda em atividade, o holandês segue conquistando títulos, agora ao lado do atleta Scott Abraão Azevedo.

500 mil pessoas foram às ruas para acompanhar de perto a primeira prova de triatlo em Olímpiada da história.

Fonte: Seppia

0 comentários:

Postar um comentário