Subscribe:

Parceiros

.


segunda-feira, 17 de junho de 2013

Liberdade nas ruas? Só se for de bicicleta


Ganhar um carro, pegar estrada e sair por aí atrás do volante compõem um cenário ideal rumo à liberdade. Certo? Errado. Até bem pouco tempo atrás, essa frase faria mais sentido. Nos anos 1990, o sonho de todo jovem era comprar o seu carro e ser livre. Porém, parece que não é essa a tal liberdade que a geração de hoje busca quando o assunto é mobilidade. Antes, o automóvel era visto como um símbolo de independência. Com o passar dos anos e o surgimento de vários agravantes, como o trânsito, a violência, as doenças respiratórias e a falta de espaço nas ruas, o carro não faz mais parte dos sonhos da grande maioria dos jovens de 2013.

Recentemente, a General Motors (GM) encomendou uma pesquisa para a MTV Scratch, canal de pesquisa e relacionamento com jovens, da emissora norte-americana, para tentar entender esse mercado e criar estratégias para reconquistar o público jovem. Mas, parece que essa tendência não é fácil de reverter.

Parece mesmo que os jovens mudaram. Segundo a pesquisa, essa geração chamada de “Millennials” (a famosa Geração Y) valoriza a vida saudável e o esporte; são jovens entre 18 e 24 anos que acreditam na sustentabilidade e buscam construir um mundo melhor por meio de atitudes positivas. Dessa forma, jovens trocando carros por bikes,e as ruas sendo tomadas por ciclistas é algo cada vez mais comum.

No Brasil, a onda dos bikers parece uma tendência que veio pra ficar. Em São Paulo, as ciclofaixas que são liberadas aos domingos e feriados, têm ficado lotadas de paulistanos que só precisavam de uma desculpa para tirar as bikes da garagem. O empresário e atleta Lucas Laurentys não larga a bike por nada “vou para qualquer lugar num raio de 15 km de bike, sempre que posso evito pegar o carro; pedalo para o treino, médico e trabalho. Ir de carro significa mais trânsito, muita demora e menos diversão”.

As cidades e o governo vêm se adaptando também a aqueles que realmente se locomovem por meio da magrela como um meio de transporte, mas o caminho ainda é longo. Hoje é lei: qualquer novo empreendimento imobiliário deve ter um bicicletário para os moradores. Mas acidentes entre ciclistas e motoristas ainda são constantes nos noticiários e faz-se necessário levantar a bandeira do respeito e da tolerância no trânsito, mais do que nunca.

0 comentários:

Postar um comentário