Subscribe:

Parceiros

.


quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Beto vence 90km no Brasileiro de mountain bike após atropelar jumento

Pernambucano conta com uma “mão na roda” dos amigos que fazem uma vaquinha para disputar competição no Piauí. Aposta termina com título nacional na Master A2

José Alberto recebe ajuda de amigos de cidade
 vizinha para competir
 (Foto: Emanuele Madeira)
Quando se está em uma prova de ciclismo é bem importante não quebrar a corrente, mas para o campeão brasileiro da categoria Master A1, o pernambucano José Alberto, isso foi bem mais importante do que o sentido literal da palavra. Sem patrocínio, o atleta que trabalha em uma confecção, só chegou ao Piauí para o Campeonato Brasileiro de Mountain Bike de Maratona, realizado em Picos, no último domingo, porque os amigos da cidade deram uma força, que foi bem recompensada com o título nacional.

Uma rotina nada fácil para quem tem de levantar às 4h para ir pedalar todos os dias, entrar no trabalho às 8h, cumprir todo o expediente até às 18h, chegar em casa e ter pique para brincar com os três filhos. Além disso, resolver os assuntos da casa junto da mulher e finalmente relaxar para recomeçar tudo no dia seguinte. Ninguém disse que seria fácil, mas também não menos gratificante.

- Foi uma prova muito dura, muito plano com vento forte, muita areia, o sol não influenciou tanto porque eu estou acostumado com o sol. Chegar aqui foi um pouco difícil, da minha cidade não veio ninguém e contei com a ajuda de alguns amigos da cidade de Lajeiro – contou.

Foi assim, na base da vaquinha, corrente, mão amiga, que José Alberto conseguiu levar um titulo brasileiro de volta para Pernambuco. A insistência vem do gostar. A bicicleta é própria, mas não está 100%. Durante a prova, o incidente mais inusitado talvez tenha acontecido com o pernambucano que bateu em um jumento no meio da estrada, mas sem gravidade.

José Alberto gaguejou na hora de dizer o nome dos novos amigos
(Foto: Emanuele Madeira)
- As dificuldades aumentam, estou sem patrocínio, e tenho de trabalhar para manter a bike e a família – completou.

Nos agradecimentos, nada mais justo que dedicar toda a gratidão de um título ao Bruno, ao Riva, Johnny e Márcio, os amigos da cidade vizinha que deram suporte para que o confeccionista pudesse se tornar também campeão brasileiro.

Fonte: G1
Por: Emanuele Madeira
Picos, PI

0 comentários:

Postar um comentário