Subscribe:

Parceiros

.


quarta-feira, 16 de março de 2016

O poder das mulheres nas duas rodas


Há muito tempo estamos acompanhando o crescimento das mulheres no universo da bicicleta. Seja em eventos esportivos, seja nas ruas da cidade, as mulheres estão ganhando um espaço cada vez maior, a ponto da maioria dos fabricantes criarem produtos exclusivos e desenvolvidos especialmente para atender a este emergente e exigente mercado.

E com isto surgem os primeiros grupos especializados nesta crescente demanda, tais como o grupo das Pedalinas, do Saia na Noite e muitos outros espalhados pelo Brasil!

Nas últimas semanas fomos conhecer um pouco do projeto Ciclofemini, liderado pela Cláudia Franco, com quem batemos um papo.

Acompanhe esta conversa e veja que caso legal!

De onde surgiu a ideia de dar aulas de ciclismo para mulheres?

CF: A ideia surgiu da minha própria necessidade. Quando comecei a pedalar não encontrei nenhuma escola, nenhum profissional que pudesse me ensinar. Acabei aprendendo a pedalar sozinha aos 48 anos de idade. O método de ensino do Ciclofemini tem como base o meu auto-aprendizado, por isto há detalhes que fazem o diferencial do método, sei onde estão os pontos críticos de mais insegurança ou medo.

Como vocês perceberam que havia uma demanda nesse sentido?

CF: Na realidade a demanda aconteceu espontaneamente. No início, apostei nos cursos de mountain biking, cicloturismo, ciclismo urbano. Porém o curso para iniciantes despontou-se, pois não é somente para quem não saber pedalar, é para quem não tem habilidade, destreza ou conhecimento técnico. Pessoas que pedalam desde criança, que pedalam há muito tempo fazem o curso conosco para aperfeiçoar postura, conhecer novas técnicas e principalmente pedalar com segurança.

A mulher que quer pedalar precisa ter algum preparo especial?

CF: A princípio não. É importante ressaltar que o Ciclofemini iniciou focado em mulheres, mas hoje atendemos todos os públicos, homens, mulheres, jovens, crianças de todas as idades. Não demandamos nenhum preparo ou conhecimento prévio. Auxiliamos os alunos na conscientização corporal, nutrição, preparo físico e mental, pois além da equipe que atua diretamente com os alunos ser formada por atletas e profissionais da área de educação esportiva, somos assessorados por profissionais da saúde. Além das aulas de bike, os alunos recebem um conjunto de exercícios para realizarem fora das aulas regulares.

Para alguém que nunca pedalou na vida adulta, quanto tempo em média é necessário de treinamento para sair pedalando?

CF: Varia muito de pessoa para pessoa. O que mais dificulta é o medo, ansiedade, timidez e a pressa em aprender. Se a pessoa encara como uma diversão, como algo prazeroso e deixar o processo acontecer o aprendizado é mais rápido.

Que tipo de bicicleta e acessórios são mais adequados para as mulheres que querem começar a pedalar?

CF: Sempre instruo o aluno a definir o propósito do pedal, ou seja, depois de aprender a pedalar e já pedalando bem, como será o futuro? Volta no parque, trilhas, cicloviagem, ciclismo urbano ou de estrada?  Um vez definindo o propósito, recomendo sempre comprar a bicicleta no tamanho adequado a sua estatura. Recomendo que façam o ajuste da bicicleta, o bike fit, assim como a comprarem bicicleta com componentes de boa qualidade. No caso específico de mulheres, sugiro que busquem por bicicletas femininas, cujo quadro tem uma geometria específica. Ressalto que as bicicletas de boa qualidade nunca serão baratinhas. Comprar uma bicicleta baratinha só porque está no início é um equívoco, pois a bicicleta não vai corresponder, pode ser pesada demais e a pessoa pode vir a desistir de pedalar.

Que dica e incentivo você pode dar para alguém que nunca pedalou e quer começar?

CF: A primeira coisa é encarar a aula de bicicleta da mesma forma que encararia uma aula de natação, uma aula de tênis ou de qualquer outra atividade física. Com orgulho e não com vergonha. É mito achar que todo mundo sabe pedalar, que somente mulher não pedala e que criança aprende mais rápido que adulto. Muitos homens aprenderam a pedalar conosco. Adultos até o momento aprenderam mais rapidamente que as crianças, alguns deles aprenderam em apenas 30 minutos de aula. Dizer que todo mundo aprende a pedalar quando criança é mito. Além disto a bicicleta é uma das melhores opções para manter a forma e o condicionamento físico. Não tem contraindicação, ou são muito raras. Não oferece impacto nas articulações, mulheres gestantes podem pedalar, excelente para desenvolver o equilíbrio e também a congnição. Há diversas opções de lugares, passeios e viagens. Não tem limite de idade. Não depende de nada e de ninguém, apenas você e a bicicleta. A atividade física com a bicicleta é democrática, saudável e corretamente ecológica.

Quais são os objetivos para o futuro da Ciclofemini?

CF: Este ano foi de construção. Apresentar para o mercado a seriedade com a qual desenvolvemos o nosso trabalho e construir uma base sólida com relação aos serviços que prestamos. O futuro é consolidar o Ciclofemini como uma escola completa de ciclismo, seja de estrada, urbano ou montanha. Quando digo completa é levar ao nosso aluno tudo o que há de mais atual, seja em termos de equipamentos, recursos para as aulas, orientação para o desenvolvimento físico e mental e claro que com relação as técnicas do pedalar corretamente.

Obrigado Cláudia Franco por dividir sua experiência conosco, e que suas palavras sirvam de estímulo para que mais e mais pessoas possam conhecer e se aventurar no universo das bicicletas!

Fonte: Eu Vou de Bike

0 comentários:

Postar um comentário